Espiritualidade

O ego, o negativismo e o caminho para o fim do sofrimento

sala de estar valendo

[…] O ego cria separação, e a separação causa sofrimento. Além de suas manifestações óbvias, como raiva e rancor, o negativismo assume formas mais sutis que, por serem muito comuns, não costumam ser reconhecidas como tal, como impaciência, irritação, nervosismo e a sensação de algo ter chegado ao limite. Essas manifestações do ego constituem a infelicidade em segundo plano, que é o estado interior predominante de muitas pessoas.



Precisamos estar absolutamente “atentos e presentes” para detectá-las. Sempre que fizermos isso, será um momento de despertar, ou de abandono da identificação com a mente. Se houver outras pessoas por perto, em geral nosso parceiro ou nossa parceira ou um parente próximo, o ego tentará provocá-los – levá-los ao limite, como se diz – para que possa se nutrir do conflito que resultará disso.

BALLS_MATERIA

 


Se não for bem sucedido da primeira vez, tentará de novo seguidas vezes. É emoção pura procurando mais emoção. 
Para darmos fim ao sofrimento que vem afligindo a condição humana há milhares de anos, precisamos começar por nós mesmos e assumir a responsabilidade por nosso estado interior em qualquer momento. Isso quer dizer agora. Portanto, pergunte-se: “Estou dando mostras de negativismo neste exato instante?” Depois fique alerta, preste atenção nos seus pensamentos e nas suas emoções.

Quando passamos do pensamento para a consciência, uma inteligência muito maior do que a esperteza do ego começa a agir na nossa vida. As emoções e até mesmo os pensamentos são despersonalizados pela consciência. A natureza impessoal de ambos é reconhecida. O “eu” deixa de existir neles. São apenas emoções e pensamentos humanos.

Toda a nossa história pessoal, que, em última análise, não passa mesmo de uma história, de um amontoado de pensamentos e emoções, adquire uma importância secundária e não ocupa mais o primeiro plano da nossa consciência. Ela deixa de formar a base para nosso sentido de identidade.


Nós somos a luz da presença, a consciência de que somos mais importantes e mais profundos do que quaisquer pensamentos e emoções. Lembre-se disso antes de fazer algo que possa lhe magoar ou magoar alguém que você ama. […]

Eckhart Tolle

Para que jogar a culpa nos outros?

Artigo Anterior

O buraco da agulha

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.