4min. de leitura

O lugar mais tranquilo do mundo é um coração sem ego

”Você jamais encontrará a felicidade, se ela não estiver dentro de você mesmo.”


Essa parece uma daquelas frases-clichês que a gente vê por aí, mas o que tem de clichê tem de verdadeira, e só o tempo e as circunstâncias da vida vão deixando isso claro.

Procuramos a felicidade o tempo todo à nossa volta, sem entender que, se ela não vier de dentro de nós mesmos, nunca a encontraremos de fato em nada. Por isso, viver não é uma “pescaria”, em que você jogar a isca para ver o que acontece. Viver não é a busca por lucro diante do “mar” do acaso. Fere-se na alma quem se pauta em apegos, ganância e ira, quem segue prazeres e foge das dores. O seu crescimento não está no prazer, dele você só desfruta, a sua evolução está na dor, pois só ela transforma.

Fala-se muito de amor-próprio, mas se esquece de que o amor-próprio e amor ao próximo devem ter a mesma intensidade.

Quem não se ama acaba por esperar o amor dos outros o tempo todo e não percebe que só se vive melhor “do lado de fora” quando se está bem por dentro. Mais que autocuidado, boa dieta e equilíbrio de trabalho e lazer, amor-próprio é abandono das vaidades na relação com as outras pessoas.


Quantas guerras são perdidas até se perceber que só existe vitória quando se fazem as pazes? Quanto rancor provoca doenças até que, às vésperas da morte, tudo o que se deseja é apenas o perdão de quem se ama? Quantas injustiças são cometidas com alguma justificativa que não passa de orgulho?

O lugar mais tranquilo do mundo é um coração sem ego, é o estado de espírito ideal para o verdadeiro amor-próprio, que nada mais é do que a harmonia com todas as pessoas, coisas e fatos.

Eu desejo que a tristeza não entre em seu lar mas, quando ela chegar, que você não tenha medo de lhe abrir a porta, pois ela lhe trará tanta força e sabedoria que você a agradecerá.

Eu desejo que a ansiedade não entre em seu jardim mas, quando ela pousar, que você a abrace no primeiro momento, mas em seguida a solte para ir embora.


Eu desejo que você entenda que seu lar é interno e deve ser de alegria, e que seu jardim também deve ser de alegria, mesmo quando lhe sobrevierem as aflições. Desejo que você permaneça alegremente triste, não se prenda a nada, pois tudo é passageiro. O prisioneiro é subjugado e não tem liberdade. E, por fim, eu lhe desejo a liberdade de ser aquilo que exatamente é e amar isso mesmo com suas sombras mais ocultas.

O ser humano nasceu para crescer contínua e infinitamente; a evolução é inerente à vida.

 

Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF Imagens.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.