O medo anda de mãos dadas com a coragem!

Acabei de sair de uma meditação e eu gostaria que você fosse tocado pelo que presenciei.



Tenho 3 sonhos específicos, a vida toda, e ainda não os realizei, o que me causa uma certa dor que aumenta com os anos.

Hoje eu decidi enfrentar e pagar o preço de um confronto comigo mesma.

Fechei meus olhos e estava em uma linda colina verdejante, seguia ao encontro de mim mesma, do meu medo.

Eu era a coragem, vestia a mesma forma que eu tenho e possuía luz, de enorme sorriso nos lábios e cabeça um tanto inclinada, abri os braços e acalentei em meu peito outra de mim, o medo, ela tem a mesma forma, porém um pouco escura. Ela me apertou forte entre os braços dela…


– Precisamos conversar…

Demos as mãos e saímos… Logo meus pés tocaram areias de uma praia deserta e me vi lado a lado comigo mesma, sorrindo, ambas, de mãos entrelaçadas. Confesso que a emoção de andar de mãos dadas comigo mesma, foi a experiência mais linda, gratificante e apaziguante que eu já vivi.

Apertamos forte a mão uma da outra e decidimos subir em um rochedo de pedras que inclinava-se para dentro do mar.


A coragem sentou e ficou olhando a minha outra metade de medo, em pé, olhos perdidos no horizonte… Uma suave brisa desgrenhava nossos cabelos.

O medo me olhou, ela me olhou, eu me olhei e perguntou-me:
– Você realmente quer pagar este preço? O preço doloroso de tentar, de entregar-se e correr o risco de sentir dor e machucar-se?
– Sim!

Eu coragem respondi, ainda sorrindo, muito lúcida, calma e feliz.

Eu medo olhou para longe, o mar e voltou os olhos para a EU coragem.
– Sabe que existe a possibilidade da dor. Temos certeza que esses sonhos vão acontecer, algo mais forte que o universo nos diz isto, mas há dor nesta estrada, pois um dia teremos de abandoná-la e ela é maravilhosa demais.

– Um dia todos partimos. Eu CORAGEM estou contigo e só sou coragem porque você medo, me protegeu e cuidou. Transformou-me em quem sou hoje, em coragem. Agora é minha vez de cuidar de você. Estou pronta para levar-nos onde desejamos. Se algo fizer doer, nós crescemos, evoluímos e amadurecemos, saberemos suportar dor e perda e ninguém mais vai morrer nesta história… Não mais… Posso cuidar de você medo. Devo tudo a você!

Eu medo sentou na pedra, ao meu lado, olhou-me de soslaio e sorriu.
-Quer mesmo pagar este preço?
– Sim, sinto medo, não estou separada de você, sou coragem, mas metade de mim é você, medo. Somos uma só, jamais estaremos separadas. Você me deu suporte quando mais precisei crescer. Agora eu posso te dar o que você sempre desejou e teve de esperar eu crescer para ter. Estou aqui. Estou ao seu lado para sempre. Juntas somos força divina. Separadas somos sombra a vagar pelo mundo.

Eu medo olhou mais uma vez o horizonte e avisou-me:

– Vem um temporal por aí… –

Olhei o céu que enegrecia, o vento que transformava-se em rajadas e o mar agora revolto.

– Adoro temporais. Adoro o cheiro da chuva.

– Eu também… Você sabe que depois desta conversa, teremos estes sonhos realizados. Este nosso encontro, depois de décadas, é uma decisão.

– Eu sei!

– Então vamos pular no mar e aproveitar o temporal? – Convidou-me o Eu Medo.

Eu coragem, olhou aquela escuridão, a água batendo nos rochedos, o vendaval que fazia a chuva fina açoitar nossos rostos. Encostei minha cabeça no ombro do eu medo e fechei os olhos. Eu medo encostou a cabeça na minha cabeça e fechou seus olhos. Por um momento tudo deixou de existir e só sentíamos o ressoar do vento e da chuva. Estavamos em paz, em uníssono. Tinhamos um acordo, um contrato. Queriamos o mesmo e ambos dispostos a proteger os medos e coragens um do outro. Éramos uma dupla. O Medo e A Coragem. Entrelaçamos os dedos e apertamos forte.

Éramos o melhor e mais destemido casal. Segurar um na mão do outro era a sensação de paz mais incrível do universo.

Eu medo levantou, olhou-meme sorrindo largamente, era a primeira vez que o medo sorria largamente e brincou comigo:

– Coragem você está com medo de pular no mar comigo em dia de temporal? Este temporal é um marco, o prenúncio da nossa vitória, embasada em nossa decisão. Coisas lindas vem por aí.

Eu coragem levantei e sorri largo, segurei na mão do Eu medo e juntos nos jogamos no mar.

A escuridão nos envolveu, o temporal rugiu em nossos ouvidos e a água gelada nos cobriu. Mas lá dentro do turbilhão do mar revolto e do temporal que nos açoitava sem piedade, nos divertíamos juntos e riamos alto, como nunca fizéramos antes. Lá dentro havia luz, uma luz divina que nos acalmava e nos dizia que havíamos feito as pazes. Não precisávamos seguir separados e nem machucar um ao outro com desentendimentos. Podíamos sentar e conversar e perceber, que queríamos as mesmas coisas, tínhamos os mesmos sonhos e só poderíamos realizá-los em conjunto, como uma dupla. Cada um tinha o necessário para dar suporte ao outro.

Sentimos Deus naquela manifestação da natureza. Nos sentíamos deuses, capazes de conseguir tudo que nos faria bem dali para frente…

Decida definitivamente o que você deseja e os milagres irão acontecer…

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.