Mensagem de Reflexão

O medo de estar perdendo algo

MEDO DE PERDER

Esses dias eu aprendi um termo novo em inglês: FOMO, Fear Of Missing Out. Mas, o que isso significa em português?



O termo, reconhecido pelo Oxford Dictionary, quer dizer basicamente “medo de estar perdendo algo”.

É a ansiedade causada por saber que você não está participando de um evento importante ou emocionante que está acontecendo em outro lugar, geralmente despertada por fotos e posts nas redes sociais.

Faz algum tempo que pesquisas tentam provar a capacidade das redes sociais de fazer o ser humano infeliz. Mas, a verdade, é que as redes sociais só potencializam esse sentimento e ansiedade que sempre existiu nas nossas vidas.


Quando eu estava no terceiro colegial, minha formatura foi dividia em dois eventos: um baile e/ou uma viagem para Porto Seguro. Como eu não tinha dinheiro para fazer os dois, escolhi fazer o baile, já que meu pensamento na época era o de que Porto Seguro sempre estaria lá. Os alunos que não foram, tiveram aula normalmente e, para os que ficaram, a sensação de estar perdendo algo era inevitável.

Nem preciso dizer que quando as pessoas voltaram da viagem bronzeadas, felizes e cheias de fotos já reveladas para mostrar, achei que fosse cair dura de arrependimento. Passei uma semana inteira ouvindo piadas internas, histórias e dancinhas que só aumentavam o meu remorso por não ter escolhido a viagem em vez do baile. Eu já sofria de FOMO muito antes da existência das redes sociais.

Esse fim de ano vou confessar que eu também sofri de FOMO durante o Natal e Reveillon. Isso me fez pensar não só no quanto não valorizamos devidamente as coisas quando elas estão nas nossas vidas todos os dias de graça, mas principalmente, na nossa tendência de achar que a grama (ou o Instagram) do vizinho é mais verde que a nossa.

E, já que esse é um sentimento inerente ao ser humano, o ideal é que a gente aprenda a conviver com ele de forma que ele não afete as nossas vidas, e principalmente, não nos faça infelizes. Por isso, todas as vezes em que você estiver sofrendo de FOMO, pense nisso:


Você está vendo uma pequena fração da realidade

Geralmente, as pessoas tendem a se expressar sobre aquilo que é muito bom ou muito ruim. Quando você é mal atendido em um restaurante e tem uma experiência péssima, você faz um check-in no Foursquare e diz para todo mundo o quanto aquele lugar é uma merda. O mesmo acontece quando você vai naquele lugar badaladíssimo e posta a foto do seu prato no Instagram para deixar todo mundo com água na boca. Mas, aquele sanduíche que você comeu correndo porque tinha de voltar ao trabalho em um dia comum raramente é compartilhado. Só que, se pararmos para pensar, 80% da nossa vida é feita de momentos ordinários que não valem um post no Facebook.

Ninguém é tão bonito, feliz, rico e viaja tanto quanto no Instagram

Quem segue meu Instagram deve achar que eu tenho a vida mais incrível e sem problemas do mundo e que minha maior preocupação deve ser escolher qual é a praia paradisíaca que eu vou visitar na próxima semana. Calma, não estou reclamando, mas como eu sempre digo, tudo na vida tem um bônus e um ônus. Muita gente deve olhar para isso e pensar que é uma merda estar trabalhando enquanto eu estou aqui. Mas, eu te garanto que daqui, sinto a mesma coisa a cada vez que vejo fotos dos meus amigos se divertindo sem mim. Ou quando a minha família teve o Natal mais feliz dos últimos anos e eu não estava lá. Ou quando alguém compra um apartamento e eu penso que estou gastando todas as minhas economias. A vida é uma soma de perdas e ganhos, onde o balanço deveria ser positivo. Isso leva ao meu próximo ponto.


Todo mundo tem algo a agradecer

Sempre que sinto esse medo de estar perdendo algo, penso em todas as coisas maravilhosas que eu tenho na minha vida. Eu também entendo que nem todo mundo tem a vida que gostaria, mas tenho certeza de que todo mundo tem algo a agradecer, seja uma família unida, uma saúde de ferro, um namorado carinhoso, filhos fofos ou amigos que são como irmãos. Nunca vamos ter tudo, já que parte da nossa motivação também está na busca, mas somos muito mais felizes quando agradecemos àquilo que temos.

Peraí, essas pessoas são suas amigas, certo?

Quando você aceita ser amiga de uma pessoa no Facebook ou escolhe seguir alguém no Instagram, é porque de alguma forma você se interessa pela vida daquela pessoa. Eu sei, muitas vezes só estamos sendo educados, mas existem configurações para que você só veja aquilo que te interessa. Além disso, uma das coisas que eu tenho aprendido com a minha pesquisa sobre a felicidade é que assim como ser grato pela nossa vida, se sentir genuinamente feliz com a felicidade daqueles que gostamos também nos faz feliz.


Se você constantemente sente medo de estar perdendo algo, FAÇA ALGO A RESPEITO!

Nada como começo de ano para mudar o que não está te fazendo feliz. Não aguenta mais ver todo mundo viajando enquanto você nunca tira férias? Comece a se planejar desde já para uma viagem daqui a seis meses. Acha que sua melhor amiga está distante e fica chateada quando vê as fotos dela com as outras amigas? Diga que você se importa e queria participar. Sempre existe um caminho para realizar quase tudo aquilo pelo qual você sente a famosa “inveja branca” quando vê que os outros fazem e você não. Não é fácil, mas vai ser melhor do que passar a vida lamentando por aquilo que os outros postam nas redes sociais.

E para quem acredita que as redes sociais fazem as pessoas infelizes, o que eu posso dizer sobre esse período em que estou vivendo fora do Brasil é que, por causa das redes sociais ninguém está longe, por mais que você esteja do outro lado do mundo. É graças a elas que eu posso acompanhar o que minha família está fazendo, meu afilhado crescendo, as fotos dos bebês das minhas amigas (pois é, elas são muitas quando você tem 32 anos) e manter contato com todos os amigos que eu fiz pelo mundo! Como isso pode fazer alguém infeliz :D?

Imagem: Brian Cronin


Por: FelizComAVida

O que eu diria para o meu futuro eu se o encontrasse daqui a 15 anos?

Artigo Anterior

A imagem que a gente cria…

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.