4min. de leitura

O melhor conselho que eu posso lhe dar…

Eu sei que a sua autoestima pode estar abalada pela criação que você recebeu dos seus pais, porém, eles não são perfeitos e só repetem o que aprenderam na sua própria criação.

Sei que pode estar abalada por escolhas equivocadas que possa ter feito, mas você fez o que pode, dentro da realidade daquele momento. Hoje é mais fácil se arrepender porque seu grau de consciência não é mais o mesmo, ainda que pouco, ele se expande todos os dias.


Sei que pode estar abalada por possíveis rejeições, mas quantas vezes você também rejeitou outras pessoas? Faz parte dos relacionamentos, algumas pessoas despertam afinidades e outras não. Os relacionamentos duram até já não estar mais bom para um ou ambos então é o momento de seguir em frente para dar espaço para o novo chegar.

Sei que pode estar abalada porque você busca a aprovação de fora que, muitas vezes, não vem, porém, você só tem essa busca porque você mesmo não se dá aprovação e aceitação.

Sei que se abala com julgamentos e críticas a seu respeito, como se você tivesse o dever de acertar sempre, de agradar sempre, ou de nunca passar por errado… nosso ego do dia a dia.

Mas o fato é que essas são situações isoladas não fazem parte do seu contexto total de vida. Quando uma ou duas áreas não estão bem em nossa vida, temos o costume de focar somente nelas. O problema disso é que onde colocamos o foco se expande aos nossos olhos, então algo que não estava tão bom, se vivido de forma intensa e dramática, pode se tornar um peso muito maior do que realmente merecia ser.


Nesse momento nosso campo vibracional baixa e entramos em contato com pessoas e situações também nessa faixa vibracional e então vira um ciclo sem fim.

O fato é que você não é o seu passado, não é o que lhe aconteceu nem o que está acontecendo, você é muito mais do que isso. Saia por um momento do emocional e, com um pouco mais de razão, analise todas as áreas da sua vida. Percebe como existe muito mais do que somente o que o faz sentir-se menor, fraco, inseguro, não merecedor?

Olhe para o que você tem, para o que existe na sua vida. Não foque no que não existe, no que falta, no que o outro tem, no sucesso do outro. A comparação sempre o fará perder porque não comparamos bom com bom e ruim com ruim, comparamos o nosso ruim com o bom do outro.

Então, se eu pudesse lhe dar um único conselho, certamente seria para praticar o autoamor e é isso o que eu lhe desejo, doses altas de amor-próprio e autoestima para que você não permita que ninguém faça você se sentir menos do que você realmente é. Para que suas emoções não sejam determinadas pela forma como os outros fazem você se sentir. Para que você não precise da aprovação de fora para seguir seus sonhos e suas vontades.


Para que ninguém dite como você deve ser, qual corpo deve ter, o que deve comer ou como deve falar.


Direitos autorais da imagem de capa:  Matty Cooper from Pexels





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.