misterio

Ninguém duvida que o gato é um dos animais mais enigmáticos que existe. Seu olhar aguçado e profundo, seu caráter indomável, sua independência e seu jeitinho cativante sempre chamou a atenção das pessoas. No Egito antigo, o gato era venerado como um deus. Foi sempre visto como animal associado a noite, a lua e ao feminino, sendo portanto de polaridade negativa. O polo negativo não significa que seja ruim, mau ou errado; significa apenas que o gato é ligado ao simbolismo lunar e não ao simbolismo solar.



Na Idade Média, ele foi associado a práticas de magia negra e bruxaria. Contam as lendas que toda bruxa sempre possuía um gato preto, como forma de se proteger contra o mau olhado e os feitiços que lhe eram lançados. Na crença popular, o gato é visto com desconfiança. O gato preto é sinal de mau augúrio em algumas tradições. Infelizmente, algumas práticas primitivas de magia ainda buscam o sacrifício do gato preto como a finalidade de doação de energia a espíritos sombrios. Mas terá mesmo o gato alguns poderes extrassensoriais?

Esoteristas e místicos afirmam que os mistérios do gato são reais. Dentre outras coisas, alguns citam a incrível capacidade que os gatos teriam de absorver as energias negativas do ambiente. Dizem que os gatos possuem antenas naturais de detecção de certas energias, e se sentem atraídos por energias negativas, ao contrário dos cachorros que seriam atraídos por energias positivas. Parece que eles se atraem por energias mais densas e, ao tomar contato com elas, eles as absorvem e as purificam. Isso explicaria a grande quantidade e aglomeração de gatos que são muitas vezes encontradas em cemitérios, hospitais e outros locais.

Gatos e cachorros têm predisposições instintivas de trabalhos a serem exercidos. O cachorro, por exemplo, gosta de proporcionar proteção ao seu lar. Por esse motivo, muitos utilizam os cães de guarda como forma de segurança a residências e instituições. Os cachorros defendem os espaços com os quais se identificam em nível material. Já o gato também trabalha por essa proteção, mas ao contrário do cão, ele o faz pelo nível psíquico e sutil. Quando o gato mora numa casa, ele ajuda a proteger essa casa das energias que a invadem, ou das energias que nela são geradas. Assim, enquanto os cachorros protegem os ambientes em nível material, os gatos os protegem de energias invasoras, ajudando a manter o ambiente o mais limpo possível.


Por esse motivo, como já dissemos, rezam as lendas que, na Idade Média, muitas bruxas possuíam gatos. Elas conheciam essas faculdades de proteção psíquica e se valiam delas para amenizar os ataques espirituais. Quando o gato ama de verdade uma pessoa, ele fará de tudo para protege-la de todas as influências que possam recair sobre ela. Alguns afirmam que, em algumas ocasiões, eles podem até mesmo tomar para si as doenças que iriam se instalar em seus donos, protegendo-os do mal e sofrendo neles mesmos os efeitos de uma enfermidade. Ninguém deve acreditar, obviamente, que os gatos oferecem proteção energética total, pois isso seria um contrassenso. Da mesma forma que nenhum cachorro pode garantir integralmente a proteção material de uma residência contra os invasores, os gatos também não podem proteger completamente a psicoesfera de um local.

Sabe-se que os cemitérios são locais onde há grande concentração de energias de sofrimento, tristeza e angústia pela perda dos entes queridos e amigos. Os felinos se atraem pelos miasmas presentes na psicoesfera dos cemitérios e podem permanecer por lá longos períodos. É comum também encontrar muitos gatos em residências ou locais públicos onde ocorreram, no passado, grandes conflitos, guerras ou sofrimento. Hospitais são locais onde algumas vezes também podem ser encontrados vários gatos, que se reúnem para absorver e transmutar as energias mais densas dos ambientes.

O gato absorve e retêm essas energias, e durante seu sono, ele expurgaria uma boa quantidade dessas energias, transmutando-as em energias menos densas e mais sutis. Dizem que os gatos com mais tendência a engordar são aqueles que estão absorvendo grande carga vibratória densa, e por não conseguir expurgarem tudo, guardar em si mesmos e ficam acumulados como gordura. Uma boa forma de descobrir onde estão os pontos de maior concentração de energias negativas num determinado local é observando onde seu gato mais gosta de ficar. Se ele sai de casa e vai sempre a outra residência, é bem provável que ali ele encontre um ambiente carregado.

Para demonstrar esse fato, podemos observar a influência dos veios subterrâneos tal como pesquisada pela Radiestesia. Algumas das correntes de água subterrânea, quando se cruzam umas com as outras, podem ter um efeito deletério na saúde física e mental humana, trazendo diversos problemas de ordem física e emocional. Dizem os radiestesistas que é muito interessante notar como os gatos se sentem atraídos diretamente para o local exato onde existe o cruzamento das correntes de água subterrâneas. Eles identificam esses locais, e deitam neles, podendo ficar horas parados ali captando e transmutando essas energias densas. A concentração vibratória dos veios subterrâneos faz muito mal ao ser humano, podendo provocar até mesmo doenças letais, como câncer, mas não faz mal aos gatos, que deitam sobre elas e ali permanecem. Nesse sentido, os gatos são verdadeiras esponjas energéticas que ajudam a sugar e transformar as energias dos ambientes.


_______

Autor: Hugo Lapa

A separação como ato de amor – por martha medeiros

Artigo Anterior

Por que é bom não arrumar a cama pela manhã?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.