9min. de leitura

O MUNDO EM QUE VOCÊ VIVE FOI CRIADO POR VOCÊ MESMO!

Que bom seria viver em um mundo à nossa maneira, ter o privilegio de não passar nenhum tipo de privação e de necessidade, um trabalho bem remunerado, uma família muito feliz e com mita saúde, uma casa com todo conforto, amigos queridos, Enfim… Tudo o que buscamos é uma vida de paz em nosso coração, com um estilo de vida agradável em perfeita harmonia com o universo.


Sentir a vida como ouvimos uma boa música que nos agrada bem lá no fundo da alma, (E vocês sabem bem o que quero dizer…). Sem empecilhos para o que quer que seja desfrutar da felicidade que buscamos e poucos encontram.
Por que então não o fazemos ?
Não conseguimos essa tal felicidade… Você já parou para refletir a respeito? Será que você já não tem todos esses ingredientes… E já é feliz e não sabe?

Ou, ao contrário do que buscamos, vemos o sofrimento, a dor, a violência, a desesperança, a miséria e a falta de perspectivas de um mundo melhor…
Será que estamos aqui nesse Planeta para isso?  Será que nascemos para sofrer e viver de privações? Pare um pouco essa correria louca e procure refletir a respeito.

Entender cada passo da nossa evolução, como seres humanos que somos, diante de cada problema superado e vivido, com a certeza de crescimento, como pessoa e indivíduo, sempre em perfeita harmonia com nosso Planeta Terra, penso que deva ser questão fundamental.


Não viemos a esse Planeta Terra para sofrer, engana-se quem pensa assim…

Esse nosso sofrimento não é coisa de Deus, e nada tem de espiritual, esse sofrimento é coisa dos homens, são coisas nossas coisas terrenas. Nós criamos todo tipo de sorte, nossa consciência pessoal é a responsável por tudo o que recebemos, ela nos traz o bem e nos traz o mal. Falsos profetas enganam você quando pregam a aceitação do pecado, ou o castigo, para que vivamos felizes. Deus jamais quer o seu mal, nem que você passe por privações, sofrimentos e infelicidade.

o-mundo-em-que-voce-vive-foto-01


Pois é… Este é o verdadeiro “estado da arte” como se costuma dizer, estado da plenitude da vida. Do sentir-se completamente feliz e contagiar todos os que desfrutam da nossa convivência, com a nossa alegria estampada no rosto, através do nosso sorriso, nosso amor pelo próximo. Creia, ninguém fica feliz ao ver uma pessoa carrancuda e mal-humorada, e ninguém pode ser feliz vivendo dessa maneira.
A alegria e a felicidade são contagiantes, o mesmo vale para a tristeza e o mau-humor. Mas, veja, são sentimentos extremos, onde um está o outro não estará. E, queira ou não, é você quem os cria… Com seus pensamentos negativos, sua postura derrotista, de que nada dá certo em sua vida… De que todos conspiram contra você, que não tem sorte, não é amado nem compreendido.

A tendência humana é a de sempre nos espelharmos ou pelo menos procurarmos nos espelhar nas pessoas que possuem o dom de fazer sucesso, seja lá em qualquer área da vida; veneramos nossos ídolos, através da mídia que aí está incutindo em cada mente incauta seus valores doentios e maléficos. Reality Show, programas de péssima qualidade, novelas de caráter apelativo.
Assimilamos seus costumes de vida, através de uma programação mental nociva aos jovens, com sexo e violência, banalizados, apresentados em demasia na tela da TV, falcatruas e vantagens de sucessos obtidos através da enganação. Mas isso de nada adianta, somos indivíduos e, como tal, jamais seremos os mesmos, sem uma real formação de caráter.

Nessa nossa existência há um tempo para tudo; certamente eu e você nos inspiramos em nossos ídolos do passado, temos em nossa historia um cabelo comprido, uma roupa colorida, uma música datada, que nos remete a um passado distante que foi bom ou foi ruim, a lembrança de um amor perdido… Quem não tem lembranças do passado não viveu a vida, isso é fato. E quem não errou que atire a primeira pedra.

Quando somos jovens nos assemelhamos a uma esponja, absorvemos tudo o que há de bom e tudo o que há de ruim para a nossa história de vida, como uma nau ancorada em um porto, sem um capitão que possa navegá-la com firmeza e direção.
Ficamos à mercê das ondas e das marés, tal qual mariscos agarrados às pedras à beira do mesmo cais, por anos seguidos, sem nos darmos conta da passagem do tempo e da diferença das águas.
Digo isso… Pois se você parar para pensar, as águas jamais serão as mesmas e como as águas nós também já não somos os mesmos.

Qual é o ponto…

É só notar, as crianças nascidas no mesmo dia, hora e lugar, elas nunca terão a mesma história de vida, seja em um berço esplêndido, ou nos recantos longínquos do nosso Planeta Terra, em uma família humilde ou na mais abastada das famílias, essas crianças não serão e nem terão a mesma trajetória, algumas com história de vida simples irão se sobressair e se tornarão vencedoras, em contrapartida outras nascidas em berço de ouro, não desenvolverão seu potencial e terão uma trajetória de vida problemática e infeliz.

o-mundo-em-que-voce-vive-foto-02 Ao longo da nossa criação, sofremos todo tipo de interferência externa; quando somos educados pelos nossos pais, absorvemos a sua cultura no tocante às nossas primeiras palavras, nosso choro e manias, já estão sendo-nos impostas, (Jesus Cristo na sua juventude também se rebelou com sua mãe, por ela querer lhe impor a crença dos Judeus, acreditando em um deus que castiga). Jesus nunca aceitou essa imposição, não acreditava nesse deus que castiga e como nós, foi um rebelde em sua juventude.

E, assim vamos vivendo, moldando nossa vida, nossos costumes, valores e crenças, acumulando ressentimentos, amarguras, preconceitos, arrogância, prepotência e soberba ao longo de nossas vidas, ignorando que todos esses sentimentos maléficos estão sendo represados um a um em nossa personalidade, por conta do nosso EGO, e como tudo que é represado, certamente não irá aguentar a força desses acúmulos que fatalmente transbordarão.

Não há como evitar essa força contraria em nossa vida, mas temos que ter a consciência de que esses sentimentos irão nos trazer a depressão, o medo, a ansiedade, a angustia e o despreparo para com a vida.
Somos infelizes porque escolhemos esses sentimentos para nós próprios. De nada adiantará colocar a culpa no outro, a escolha é nossa em acumular todo tipo de sentimento negativo, estamos fortalecendo inconscientemente a nossa infelicidade, como indivíduos que somos e mais uma vez inconscientemente transferimos essa triste vida a todos que nos cercam.

Não queira encontrar o conforto, a felicidade e o bem-estar fora de si, se não fizermos essa reflexão, internamente, não iremos evoluir como indivíduos, somos moldados à imagem e semelhança de Deus e tudo podemos.

Para isso será necessário quebrar paradigmas, adotar outra postura diante da vida que nos foi dada e entendermos vez por todas que somos um altar feito para que cada um busque por si próprio seu melhor caminho, através do livre-arbítrio que nos é dado. Tudo depende do mundo que construímos para nós mesmos, e somos responsáveis pela nossa tristeza e pela nossa felicidade.

Pense nisso…





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.