O mundo ensina aos nossos filhos o que não ensinamos. Nem sempre de modo carinhoso

Se você realmente ama seu filho, se quer que ele seja feliz, prepare-o para a vida. Ensine a ele valores como empatia, cordialidade, respeito (próprio e ao próximo), gratidão.

Um grande número de empresas está investindo em projetos para ensinar seus colaboradores valores como gratidão, respeito ao próximo, empatia. A namoradinha do seu filho está ensinando a ele sobre limites e sobre respeitar o espaço do outro. O marido da sua filha está ensinando a ela sobre o valor das coisas, aprender a ouvir um “não”. E assim por diante.

Valores que, teoricamente, deveríamos aprender em casa, na convivência familiar.

Muitas vezes, por amor aos nossos filhos, acreditamos que protegê-los de frustrações, dar a eles tudo o que desejam, deixá-los livres para fazer o que quiserem e quando bem entenderem, é a melhor forma de provar este sentimento. Mas considero esta uma forma muito cruel de amor. Criamos, assim, seres humanos despreparados para a vida, que não entendem e respeitam as necessidades do outro, que se ofendem com tudo e todos, que adoecem ou se vingam quando ouvem um “não”, que vivem frustrados, tristes e certos de que o mundo deve girar em torno deles.

Criamos pessoas que usam as outras para conseguirem o que querem porque não entendem que o outro, assim como ele, tem sentimentos, desejos e vontades. Seres que matam quando um parceiro afetivo não quer mais manter o relacionamento, gente que toma tudo que o superior na empresa fala como pessoal e não fica em nenhum emprego porque sempre se frustra com o fato de as coisas não saírem exatamente como eles querem.

Recentemente, li um artigo que dizia o seguinte: “Se você não prepara o seu filho para a vida, terá de sustentá-lo por toda ela”. E esta afirmação está totalmente correta!

Uma pessoa fraca, que não sabe conviver em sociedade, não separa o pessoal do profissional, briga com todo mundo, enlouquece quando não consegue o que quer, não tem empatia e respeito pelas pessoas, por mais amado pela família que ele seja, não tem espaço na sociedade em que vivemos. Ele será arrastado, com toda força, pelo mercado de trabalho, doenças (sejam elas emocionais ou físicas), e não conseguirá se manter em relacionamentos saudáveis.

Então, se você realmente ama seu filho, se quer que ele seja feliz, prepare-o para a vida. Ensine a ele valores como empatia, cordialidade, respeito (próprio e ao próximo), gratidão.

Só vocês, mães e pais, podem ensinar todas essas coisas aos seus filhos, com todo amor e carinho que eles merecem. Não permita que a sociedade os pegue desprevenidos e lhes ensine, de maneira muito dura, a lidar com essas situações.

O mundo é maravilhoso, mas pode ser muito cruel também! Principalmente com os despreparados emocionalmente. Opte por ensiná-los com amor.


Direitos autorais da imagem de capa: Senjuti Kundu on Unsplash.



Deixe seu comentário