5min. de leitura

O mundo que eu quero para o futuro é um que tenha pessoas capazes de iluminar seus próprios caminhos

O mundo que eu quero para o futuro é um que tenha pessoas com luz própria, capazes de iluminar seus próprios caminhos, em vez de ficar à beira do caminho alheio. Pessoas que saibam que não é preciso pagar para ter as coisas mais valiosas da vida: amor, carinho, reciprocidade, honestidade, caráter.


E não é preciso gastar muito para doar tudo o de melhor que temos para outros, pois podemos compartilhar com eles as nossas felicidades, os nossos momentos, as nossas conquistas e, acima de tudo, o segredo das nossas certezas: a fé.

As pessoas que eu quero ao meu lado e no meu futuro são aquelas que não proclamem pela guerra como meio para se atingir a paz, as que saibam se doar para tirar o sorriso do rosto de uma criança ou a gratidão dos olhos de um adulto, são pessoas que sabem ser de verdade e abominam os disfarces e as intenções ocultas, são aqueles que não precisam de maquiagem no seu interior porque a sua beleza interna não precisa de remendos e nem de ajustes, apenas belos acréscimos que colhem a cada dia das sementes dos seus gestos.

As que eu quero comigo, sem rastro de dúvidas, são essas pessoas que me encantam de todas as formas: sabem sorrir com os olhos, enxergar com o coração e raciocinam com a fé, por isso são tão especiais e, ao mesmo tempo, tão autênticas.

Para que existam mais pessoas luz, é necessário que ocorram transformações, e é preciso pessoas dispostas a serem protagonistas delas. Devem começar a mudança por si, que saibam abrir seus corações, deixar a alma percorrer os caminhos certeiros e seus passos encontrarem os trajetos que não as permitam falhar em sua empreitada. No início dessa jornada, o primeiro passo é muito simples, mas, ao mesmo tempo, talvez seja a chave: é preciso ser mais humano, semear bondade, transmitir simpatia, olhares de confiança, abraços de ternura e passos de fé.


Os alicerces da fé permitem que tais transformações ocorram, pois Deus planta em nós a semente da sabedoria, a que nos faz tomar boas decisões e escolher tomar atitudes ou ter gestos que nos enobrecem e iluminam.

Essa transformação, da qual falo, precisa ser total: quero que certos sentimentos e atitudes se transformem em outras que sejam capazes de nos florescer por dentro: que o ódio se transforme em amor, que as tristezas sejam alegrias dobradas, que os medos sejam doses de coragem para se seguir em frente; que as desconfianças se tornem certezas vindas da fé; que as lágrimas sejam valorizadas porque nem todo sorriso é de felicidade; que a sombra de hoje seja clarão amanhã; que haja mais flores do que espinhos; que existam mais pessoas dispostas a semear do que a colher; que não existam mais corações de pedras, mas apenas os de carne e osso que saibam pulsar e não, apenas, fingir que não se importam…

Se for possível acreditar em mudanças, porque não acreditar em uma para melhor? Porque não acreditar que as pessoas podem, sim, passar a enxergar o que está bem na frente do nariz?


Eu preciso confiar porque só assim vislumbro um futuro melhor. Isso porque, dar liberdade aos sonhos é deixar que a nossa alma alce voos, assim, permito que a minha esteja sempre em pleno voo, pois acredito que, quando prendemos um sonho, ficamos reféns dele, por isso, deixo escrito aqui alguns dos meus…

Que nos permitamos dar liberdade aos sonhos que gritam dentro de nós e que não podem ser silenciados.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: yesphotographers / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.