O QUE ACONTECE DEPOIS QUE VOCÊ CHUTA O BALDE



Tem muita gente chutando o balde. Seja pedindo demissão para tirar um sabático, viajar ou começar um negócio próprio. Seja pedindo o divórcio de um casamento falido ou terminando um relacionamento que sabe-se que não vai dar em nada. Seja indo para a rua protestar pelo descontentamento com o país.

A verdade é que, mais do que nunca, existe uma urgência em ser feliz, em mudar o que não nos agrada. Uma vontade incontrolável de fazer alguma coisa, qualquer que seja.

Eu chutei o meu balde. Larguei uma carreira consolidada e promissora no mercado publicitário, um salário de fazer inveja em muita gente da minha idade, roupas de marcas caras, um carro novo. Pedi demissão, vendi quase tudo o que eu tinha e comprei uma passagem só de ida para aTailândia, fiz a louca mesmo.

Toda vez que eu conheço alguém e conto a minha história, posso ver o brilho nos olhos da pessoa. Ela começa a me fazer perguntas e passa a me olhar como se eu tivesse algum super-poder que me tornasse mais forte ou, de alguma forma, especial.

Mas a realidade é bem diferente e, para mostrar que estou longe de ser essa pessoa eu vou te contar o que realmente acontece depois que você chuta o balde:

Dói, talvez mais do que você imagina.

Quando pensamos em chutar o balde tudo o que queremos é nos livrar daquela situação angustiante que está nos fazendo sofrer. Sonhamos com o alívio que vamos sentir quando finalmente conseguirmos entrar na sala do chefe e pedir demissão, não é?

Só que toda ação tem uma reação e quem frequentou as aulas de física sabe que ela vem na mesma intensidade. Se você estava perdendo o sono ou estava deprimida por causa de uma situação, há uma grande chance de que isso continue acontecendo, mas agora por um motivo diferente, já que muitas vezes não estamos preparados para as consequências da decisão que tomamos.

Hoje eu posso dizer que eu não estava preparada para não ter um emprego ou uma renda fixa quando decidi pedir demissão e viajar. Por ter tido uma vida difícil quando criança e adolescente, eu achava que saberia lidar com uma possível falta de dinheiro, mas percebi que justamente por isso é que foi tão difícil.

Por mais maluco que possa parecer, esses últimos 2 anos, embora muito felizes, intensos e cheios de viagens, também foram (e ainda estão sendo) os mais difíceis da minha vida.


Depois de chutar uma vez, você chutará sempre.

Eu tinha uma chefe que falava que não existe crescimento sem dor. Eu não poderia concordar mais. Quando olho para trás, os maiores aprendizados da minha vida foram resultados de alguma experiência dolorosa de certa forma.

A dor, embora desconfortável, faz com que a gente cresça, ganhe confiança e encontre uma força que nem sabíamos que existia dentro de nós. É por isso que, depois que você chuta o balde e sobrevive, você pensa muito menos antes de chutar de novo. 



Muita gente me pergunta como eu criei coragem para fazer o que eu fiz, mas esse foi o terceiro ou quarto balde que eu chutei na vida. Isso, somado a outras experiências, me ensinou a ser resiliente e essa é uma das melhores qualidades que eu poderia ter. 

“Somente quando temos coragem suficiente para explorar a escuridão, descobrimos o poder infinito da nossa própria luz.”

– Brené Brown


Sua vida nunca mais será a mesma.

Chutar o balde sempre nos coloca em uma posição extremamente vulnerável e vulnerabilidade é incerteza, risco e exposição emocional.

Para viver com ousadia é preciso saber lidar com o desconforto dessas emoções negativas. Por um lado, é desconfortável desafiar o status quo. É desconfortável resistir ao desejo de se acomodar. É desconfortável conviver com a dúvida sobre a decisão que tomamos.

Por outro lado, segundo a pesquisadora especialista em vulnerabilidade Brené Brown, quando estamos vulneráveis é que nascem o amor, a aceitação, a alegria, a coragem, a empatia, a criatividade, a confiança e a autenticidade.

Eu garanto que a partir do momento em que você conseguir se sentir mais confortável com essa vulnerabilidade, você vai ter descoberto a mágica que acontece fora da sua zona de conforto e não existe a menor chance da sua vida continuar igual depois disso.

Nem todos os perrengues, dúvidas, insônias e lágrimas fizeram com que eu me arrependesse de ter chutado os baldes necessários para estar onde estou hoje. Eles só me deram força para continuar chutando cada vez mais longe!

_____

Fonte: Escrito por Fê Neute via Feliz com a vida






Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.