4min. de leitura

O que “autocuidado” realmente significa e porque é muito mais do que banhos quentes e bolos de chocolate

O autocuidado tornou-se muito embelezado ultimamente, mas a verdade é que pode ser muito mais complicado do que parece.

Autocuidado é muito mais do que chegar em casa cansado e preparar um banho quente para relaxar, é mais do que ir para a casa da sua amiga comer um bolo de chocolate enquanto sofre pelas decepções amorosas e mais do que sair mais para jogar bola depois de terminar um relacionamento.


Algumas vezes, o autocuidado é organizar sua vida financeira em planilhas, obrigar-se a fazer alguma atividade que lhe dê prazer, mesmo quando a última coisa que deseja fazer é sair de casa, é parar de fugir dos problemas e encontrar soluções para as adversidades diárias.

Outras vezes, é fazer aquelas coisas que parecem quase impossíveis, conciliar estudo, dois empregos, família e um relacionamento amoroso para poder ter uma renda a mais; falar para uma pessoa que você conhece há anos que não quer mais estar ao seu redor porque ela é tóxica e apenas lhe faz mal; ou aprender-se a aceitar-se como você realmente é e parar de tentar superar as expectativas de outras pessoas, às custas de sua própria felicidade.

Vivemos em uma sociedade tão negativa, que o autocuidado se torna atração em revistas, filmes e todos os meios digitais para ajudar as pessoas, quando já estão exaustas e sem caminhos para seguir, quando deveria ser natural, uma prática interna de todos nós, ensinada desde a infância.


Precisamos aprender que o verdadeiro autocuidado vai muito além de mimar-se todos dias, é a escolha de construir uma realidade de vida saudável, na qual você não precisa se preocupar em “suportar” ou “fugir” diariamente.

E para nos comprometermos a esse tipo de vida, muitas vezes, precisamos fazer coisas que não queremos.

Praticar o autocuidado, muitas vezes, é encarar seus erros de frente e buscar maneiras de melhorar a si mesmo; é aprender a pensar em como uma atitude vai afetar sua vida, ao invés de agir por impulsividade; é deixar ir aquilo que não o faz mais feliz, por mais que doa insuportavelmente; é machucar outras pessoas, mas sacrificar-se por outras; é recomeçar e ter a coragem de viver da maneira que deseja. É isso e mais um monte de coisas.

Se você se vê frequentemente cedendo ao mercado midiático do “autocuidado”, sinto lhe dizer que você está longe de praticar o que realmente significa essa palavra.


O verdadeiro significado de autocuidado não é “cuidar de si mesmo”, mas sim educar a si mesmo e fazer escolhas que contribuam para seu bem-estar, a longo prazo.

Aprenda a parar de encontrar motivos para sabotar a si mesmo com gratificações momentâneas; a parar de tentar se encaixar e começar a praticar a sua liberdade; a ser o seu próprio salvador; a acrescentar coisas boas em sua vida, até que não exista mais o desejo de fugir de sua realidade.

Pratique o autocuidado priorizando uma vida realmente boa, ao invés de uma vida que apenas parece boa; sendo honesto consigo mesmo e desistindo de algumas coisas para focar em outras, aprendendo a satisfazer as próprias necessidades, sem depender de outra pessoa.

Entenda autocuidado pelo que realmente é, e aprenda a viver todos os momentos de sua vida, e não tentar escapar deles.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: antonioguillem / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.