6min. de leitura

O que ele tem que eu não tenho?

Pergunte-se: o que ele tem que eu não tenho? Qualquer que seja a resposta eu afirmo que o que você acredita que não tem pode ser desenvolvido.

Quantas vezes vemos alguém bem-sucedido e achamos que foi sorte, ou que a capacidade dessa pessoa é extraordinária, ou que essa pessoa não tem nada a ver com a gente, ou…


Eu tenho outras crenças e, garanto que até o final do artigo você também vai mudar as suas, afinal, a ciência já comprovou que a genialidade não é inata.

Gosto muito da história de Soichiro Honda, que em 1938, enquanto ainda estava na escola, pegou tudo o que tinha e investiu numa pequena oficina, onde começou a desenvolver o seu conceito de anel de pistão, pois queria vender seu trabalho à Toyota Corporation, e por isso trabalhou dia e noite. Empenhou até as joias da esposa para permanecer no negócio, porém quando terminou os anéis de pistão e os apresentou à Toyota, disseram-lhe que não atendiam aos padrões da firma.

Apenas depois de mais dois anos de trabalho perseguindo esse sonho, Honda conseguiu o contrato. Aí ele projetou sua empresa, porém surgiu um novo problema, pois o governo japonês se preparava para a guerra, e negou a Honda o concreto de que precisava para construir sua fábrica. Mas, ao invés de desanimar, mais uma vez, decidiu utilizar a experiência, inventando um processo para fabricarem o seu próprio concreto e a fábrica foi construída.


Durante a guerra, ela foi bombardeada duas vezes, ficando destruídas grande parte das instalações e, após sobreviver a tudo isso, um terremoto arrasou a fábrica. Muitas vezes, quando uma frustração atrás da outra nos aflige, nós nos abatemos, mas, o propósito de vida, a certeza de ser competente, a fé na superação mobilizou Honda para a continuidade.

Depois da guerra, uma tremenda escassez de gasolina atingiu o Japão e Honda não podia sequer sair no seu carro para comprar comida para a família. Em desespero, adaptou um pequeno motor à sua bicicleta, o que resultou em encomendas de outras iguais. Como não tinha capital, pensou em apelar para os 18.000 proprietários de lojas de bicicletas no Japão, escrevendo a cada um deles uma carta pessoal. Disse-lhes como podiam desempenhar um papel na revitalização do Japão através da mobilidade do seu invento, e convenceu cinco mil a adiantarem o capital de que necessitava. Tornou-se um sucesso e valeu uma recompensa do Imperador.

Mais tarde, passou a exportar suas motos para a Europa e Estados Unidos, prosseguindo nos anos 70 com os carros que se tornaram tão populares. Assim nasceu a Honda Corporation.


Pergunte-se: o que ele tem que eu não tenho? Qualquer que seja a resposta eu afirmo que o que você acredita que não tem pode ser desenvolvido.

Nós temos tendência em encontrar desculpas para nossas frustrações. Muitas vezes, ao invés de focarmos no que realmente queremos, deixamos que nossos autossabotadores, nossas crenças limitantes tomem uma dimensão maior na nossa vida e, nem percebemos.

Esses processos são inconscientes, por isso a importância:

  • Do autoconhecimento contínuo.
  • Da revisão de crenças constantes.
  • De ter claro nosso propósito, nossas metas.
  • De colocar foco na nossa realização, saúde e bem-estar.
  • De manter a autoestima e o amor próprio acima de tudo, acreditando em seu potencial.
  • De desenvolver a resiliência, a capacidade de resistência a frustração.
  • De tomar esses exemplos de vida focando no que você tem para potencializar as competências e no que não tem para traçar um plano de desenvolvimento.

Se você acredita ainda que ele conseguiu pela genialidade ou pela sorte dele, eu quero que você pense:

  • E a persistência?
  • E a resiliência?
  • E a capacidade de utilizar as emoções positivas, aproveitando as oportunidades?
  • E a capacidade de manter a inteligência emocional no ciclo de tomada de decisão em tantas situações de pressão e caos?
  • E a autoestima inabalável que demonstrou depois de tantas negativas?
  • E a flexibilidade ao redirecionar caminho?
  • E a fé (seja no que ou em quem for)?
  • E o positivismo?

Pare tudo agora e pense no que você quer. Pense em quantas vezes olhou para outra pessoa e desejou algo que ela tivesse, ou que ela fosse. Aqui não falo de inveja, falo de vontade mesmo. Vontade ao ver algo que o outro construiu de alguma forma e que eu gostaria de ter.

Agora mude suas crenças e saiba que: VOCÊ PODE CONSEGUIR!

Vamos dizer que você queira trocar seu carro e ter um igual ao de sua amiga. Seu foco deve ser: o que preciso fazer para conquistar isso?

Passe pelos filtros:

  • Eu realmente quero?
  • Eu preciso?
  • Eu devo nesse momento?

Agora trace o plano de ação, comece a treinar a sua perseverança e disciplina (sim, são treináveis) e desfrute da conquista!

Abraço carinhoso cheio de energia para você concretizar o que quer!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: pressmaster / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.