publicidade

O que pode ser feito hoje que irá me aproximar um pouco mais do que eu tanto desejo?”

Mudanças Duradouras: “O que pode ser feito HOJE que irá me aproximar um pouco mais do que eu tanto desejo?”

Anthony Robbins é um dos grandes nomes do Coaching. Mundialmente conhecido também com os livros “Poder sem Limites” e “Desperte o Gigante Interior”, o que tem ajudado milhões de pessoas a mudarem efetivamente suas vidas.



Ele é incisivo principalmente ao falar que apenas “o querer” uma mudança não basta, a pessoa tem que estar verdadeiramente comprometida com o processo em si. Ele fala das “lasting changes”, – as mudanças duradouras -.

Imagine uma pessoa que sempre teve desafios em relação ao peso, e que até teve sucesso, mas voltou a engordar. O que seria o ideal neste caso? Emagrecer os 40 quilos pra sempre (numa única e bem sucedida vez). E o que faltou então para essa pessoa conseguir a mudança efetiva e, portanto, duradoura em sua vida?

Num processo de Coaching é fundamental que as metas sejam mensuráveis e possíveis de serem realizadas. Muitas vezes as pessoas não conseguem atingir seus objetivos porque focam num resultado que, para o momento, talvez seja improvável de se conseguir. E, o mais importante, são os pequenos passos que nos levam a resultados palpáveis. A mudança tem que ocorrer primeiramente no interior (meta) para que exteriormente as pequenas decisões do cotidiano (submetas) alcancem o objetivo maior.


Às vezes é aquela simples ligação telefônica que irá aproximá-lo do que tanto deseja. Ou aquela conversa que mesmo sendo importante está sendo procrastinada. Aquele curso ou livro que indicaram há tanto tempo. A sua meta é sempre o seu objetivo  maior na vida. E basta uma mudança interna para que possa alcançá-la. Você poderá perguntar a si mesmo:

“- O que pode ser feito HOJE que irá me aproximar um pouco mais do que eu tanto desejo?”

E para refletir melhor, aqui vai um trecho do livro Desperte o Gigante Interior:


“Na verdade, “a vida é uma balança”. Se nos permitimos virar o tipo de pessoas que se recusam a ver as ervas daninhas que se enraízam em nosso jardim, as ilusões vão nos destruir. Também destrutivas, porém, são as pessoas que, por medo, constantemente imaginam o jardim invadido pelo mato, sufocado por ervas daninhas irremediáveis. O caminho do líder é de equilíbrio. Ele nota as ervas daninhas com um sorriso, sabendo que a visita delas ao jardim está praticamente encerrada – porque os avistou, ele pode e vai agir imediatamente para removê-las.

Não precisamos nos sentir negativos por causa das ervas daninhas. São parte da vida. Precisamos vê-las, reconhecê-las, focalizar a solução, e prontamente fazer o que for necessário para eliminar sua influência de nossas vidas.

Fingir que não existem não vai melhorar as coisas, nem se inflamar em ira por sua presença, nem se deixar dominar pelo medo. A persistente tentativa das ervas daninhas de serem parte de seu jardim é um fato da vida. Trate simplesmente de removê-las. E faça isso num estado emocional de jovialidade, caso contrário passará o resto de sua vida transtornado, porque posso lhe garantir uma coisa: sempre haverá mais “ervas daninhas” surgindo. E a menos que você queira viver em reação ao mundo, cada vez que problemas aparecem, precisa lembrar que elas são de fato uma parte importante da vida.

Mantém você vigoroso e forte atento para o que é preciso fazer para manter o jardim de sua vida saudável e rico.

Precisamos praticar esse mesmo tratamento ao limparmos o jardim de nossa mente. Devemos ter a capacidade de notar quando começamos a ter um padrão negativo – sem nos desesperarmos por isso, e também sem ficar remoendo – e tratar de romper os padrões assim que os descobrimos, substituindo-os pelas novas sementes do sucesso mental, emocional, físico, financeiro, espiritual e profissional”.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.