ComportamentoO SegredoReflexão

O que significa compromisso

Compromisso  é  uma  palavra  com  um  significado  bastante  forte  para  alguns  e  que  pode assustar  tantos  outros.  Mas, a verdade  é  que  o  compromisso  é  a  resposta  a  todos  os  teus problemas.



Para  entender  melhor  o  que  significa  é  importante  ir  além  da  noção  básica  do  que  é  um compromisso.

Na  maioria  das  vezes  o  compromisso  está  ligado  a  uma  vibração  inferior  de  energia  e  isto acontece quando se está preso a coisas, pessoas, empregos ou hábitos, normalmente devido ao medo e para evitar uma mudança.

Em termos de relações, o compromisso pode ser utilizado de uma forma possessiva: “deves ser de um certo modo, deves amar-me só a mim, deves passar a maior parte do teu tempo comigo, deves-me pôr sempre em primeiro lugar”. Pode-se chegar ainda mais longe e exigir algo do género: “Comprometo-me contigo desde que…”, como se o compromisso significasse um investimento que deve retornar para o investidor em forma de segurança e felicidade.


Também é habitual usar o compromisso como desculpa para a maior mentira do mundo: “eu vou-te amar para sempre”, como se fosse possível controlar o amanhã.

Para conseguires olhar para a palavra compromisso de uma forma mais profunda vais ter que expandir  a  tua  consciência  até  um  ponto  em  que  te  experiencies  como  testemunha  dos esquemas e tentativas da tua mente em obter segurança e certezas. Nesse ponto, conseguirás compreender se os teus compromissos atuais existem apenas devido ao medo.

Novamente, analisando as relações poderás questionar-te se são um casal feliz e preenchido, se estão juntos porque tiveram medo de seguir o vosso sonho, se ambos dão espaço um ao outro  para  crescer  e  evoluir,  se  ambos  atingiram  o  vosso  maior  potencial,  se  a  relação  é baseada na necessidade –  eu faço isto por ti e tu fazes aquilo por mim ou se a relação é sobre manter as aparências.

Quando é esta  a  energia  que  colocas  na  palavra  compromisso  estás  a  criar  condições  para viveres insatisfeito, limitado, drenado e longe da tua essência.


No entanto, também não sugiro que vás para o extremo  oposto,  já  que tanto a busca  por demasiado compromisso ou por demasiada liberdade é sinal de imaturidade. Em algum ponto, vais precisar de chegar a um acordo.

Assim, onde eu estou a  querer  chegar  é  que  o  verdadeiro  compromisso  tem  por  base  um genuíno  compromisso  contigo,  pois  o  compromisso  só  pode  ir  até  ao  limite  em  que  não  te estás a trair a ti mesmo.

Não vais conseguir  viver  o  compromisso  de  uma  perspectiva  mais  elevada,  se  não  souberes quem és, quais são os teus valores e o que afinal queres da vida. Quando nada disto é vivido plenamente por ti, estás à mercê do teu ego que busca por segurança e de uma sociedade que te programou para viveres uma vida que lhe favorece, mais a ela do que a ti.

Seguir o teu “bliss”, tal como disse Joseph Campbell não é seguir o prazer, é seguir a tua alma, sair da tua zona de conforto, abraçar a dor e o desconforto deste processo e transcendê-los para atingires uma consciência mais expandida de quem és.


Quando  isso  acontecer,  vais  constatar  que  não  te  relacionas  com  os  outros,  mas  contigo através  dos  outros  e  que  não  existe  compromisso  com  os  outros,  mas  um  compromisso contigo através dos outros. E, isto vai mudar toda a tua dinâmica na relação com tudo e com o próprio compromisso.

Por  exemplo,  se  lealdade  for  um  dos  teus  valores,  tu  vais  comprometer-te  com  ela  e materializá-la na tua relação com o outro. O teu compromisso deixa de significar o ser leal ao outro,  para  passar  a  significar  um  compromisso  a  um  valor  que  é  teu  e,  neste  sentido  um compromisso contigo.

Quanto  mais  te  comprometes  contigo,  mais  vais  conseguir  comprometer-te  com  o  que  é verdadeiro, puro, com o momento presente, com qualquer experiência e emoção boa ou má que surja.

Esta forma de compromisso pode implicar coragem para abandonar o que não te serve ou não sustenta quem tu és e o que queres para a tua vida, mas só dessa forma vais saber o que é fazer algo por ti. Não pelos outros, mas sim por ti e pelo que traz vida à tua alma.


Não vais ter mais necessidade de te comprometer com o que está exterior a ti devido ao medo e vais poder amar o outro enquanto o amor for autêntico e verdadeiro, sem fingir e sem posse, porque não estás mais comprometido com outro, mas somente contigo.

Deixa que a tua vida seja uma aventura e que o compromisso contigo, com o que te dá brilho nos olhos e um sorriso nos lábios permeie todas as tuas relações e dinâmicas.

 

___


Clarisse Cunhaperfil

Curiosa, questionadora e irrequieta levanta-se todos os dias a pensar no que vai partilhar.

Comunicar com os outros tornou-se na porta de acesso à sua essência. Além de colaborar com O Segredo podes deixar-te inspirar pelas suas palavras no seu site (clarissecunha.com) e instagram (@cunhaclarisse).

 


O maravilhoso cérebro das mulheres após os 40

Artigo Anterior

Os 5 estados da mente

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.