ColunistasReflexão

O significado que damos a nossa árvore de natal…

Pode ser que ela realmente tenha surgido lá em 1530 na Alemanha com Martinho Lutero ao se encantar com um grande pinheiro coberto de neves e que depois tentou reproduzí-lo em casa com a família. Outras versões existem, cada um fica com aquela que mais faz sentido para si.



A verdade é que existe toda uma magia, mesmo que às vezes imperceptível ao montar a árvore de natal. Talvez apenas um costume. Uma crença – se não montá-la, sete anos seguidos dá azar – uma tradição religiosa, a intenção de comemorar a vida.

Simples, pomposa, rica, humilde, que cabe na palma da mão, ela deixa sua marca. Há quem monte com o coração cheio de alegria, para agradar alguém, com saudades de alguém esperando por alguém. É, há sempre uma espera entre seus galhos.

O pinheiro, umas das poucas árvores que se mantém verde em todas as épocas do ano, retrata a nossa vontade de estar de pé diante das adversidades da vida, ou prontos para o que ela quer nos trazer de melhor.


Quem não guarda na memória a lembrança de uma árvore de natal especial? O jeito carinhoso que a mãe montava, o trabalho da família, algumas bolinhas que quebraram com o tempo, as cartas escritas e deixadas sob elas, os presentes aguardados com tanta ansiedade.

Ah, o significado. É sobre isso que discorre este texto. Como os significados são particulares. Mesmo ocupando um grande espaço na sala, ou singela sobre a mesa, disposta em um criado-mudo, olhar para a árvore de natal em algum momento desta época nos faz continuar sonhando com alguma coisa.

A gente monta relembrando a vida que foi plena durante o ano ou que escorreu entre os dedos e não soubemos aproveitá-la. Vamos dando conta de que lá se vão doze meses, e que o agora nunca pára, vira passado em um piscar de olhos.

Sentimos falta de alguém ou de algo, vontade de voltar atrás, de esquecer muita coisa. Sentimos que era para ser diferente ou que foi melhor do que planejávamos. Desejamos que muita coisa deveria se repetir, outras poderiam ser evitadas e tantas nos fizeram mais fortes.


Há uma lista de presentes que não poderiam ser comprados e que também se junta à nossa árvore. Talvez inconfessável, tão íntima, com pedidos que todo mundo, inclusive o Universo, sabe que esperamos. Sim há muitas esperas alí, um bocado de fé e expectativas.

Quando ficamos em frente à nossa árvore de natal, ou então, diante de uma entre tantas espalhadas pelas cidades, igrejas, shoppings, nos damos conta de que chegamos a mais um natal. Sim e foi muito depressa. E nesta pressa muito nos esquecemos de agradecer, mas o importante é que ainda dá tempo de dizer e repetir obrigado.

Se soubermos contar as bençãos que tivemos nestes dias e noites que a vida nos presenteou, vamos perceber que havia mais gratidão do que enfeites e pedidos para colocar sobre ela.


Não permita que te assaltem!

Artigo Anterior

Sua melhor e mais completa empresa: você mesmo!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.