O sofá…

Mas um dia, de repente, algo acontece e pulamos do “sofá”, corremos para o espelho e nos olhamos…

Nos dias de hoje estamos conhecendo, cada vez mais, pessoas e lugares. Temos acesso a todo tipo de informação, passamos, a maior parte do tempo, nas redes sociais, checando os perfis alheios e esperando, ansiosos, as “curtidas” do nosso “selfie”. No entanto, estamos nos tornando, a cada dia, mais distante de nós mesmos.



Levantamos apressados para o trabalho, nos minutos de folga estamos nas redes sociais. A noite chega e temos a sensação de que estamos esgotados. No entanto, não conseguimos descansar, “apagamos” no “sofá”.

O tempo passa… E esperamos “depois do Natal” para mudar de vida e começar a pensar mais em nós. No entanto, o Natal passa e não cumprimos nosso objetivo, continuamos tombados no aconchegante “sofá”. O ano chega e muitas promessas juntas, “depois do ano novo é vida nova”.

No entanto, começa o ano e nada novo parece ser bem-vindo.  Olhamos para o “sofá” e, lá está ele, que já precisa ser trocado por um novo pois é, ali, o lugar que mais gostamos de ficar e que passamos a maior parte de nossa vida.


E com isso procrastinamos… “um dia vou conseguir ter um tempo para mim”… “depois que as crianças crescerem”,  “depois que terminar de estudar”,  “depois que aposentar”, “depois….”.  E assim a vida passa, os anos chegam, os filhos crescem e se vão. E um dia, percebemos que não há mais, muito tempo, pois estamos mais envelhecidos e isso se torna, também, mais uma justificativa em nossa vida para não sairmos do “sofá”. O corpo não cuidado e o espírito não alimentado só querem saber de um lugar ali, naquele antigo “sofá”, que sempre nos aconchegou. E assim passamos pela vida, não vivemos, vamos apenas existindo.

Mas um dia, de repente, algo acontece e pulamos do “sofá”, corremos para o espelho e nos olhamos… Olhamos com a intenção de saber o que está acontecendo e, não sabemos o que há, mas algo fala mais alto. Continuamos ali boquiabertos, procurando saber o que é aquela inquietude que nos toma conta, mais e mais… “que sensação estranha”! Nos olhamos e não vemos nada.  Não sabemos, mas deixamos uma oportunidade passar.

Voltamos para o “sofá”, frouxo e afundado pelo nosso peso de anos, e ficamos, ali, inquietos, insatisfeitos, e pensamos “não estou cômoda em meu lugar favorito”, mas não damos maior importância a essa sensação, nos acomodamos, mais e mais, e tentamos nos distrair com outras coisas. No entanto, a inquietude não nos deixa. Pegamos o celular e “garimpamos” as redes sociais, “curtimos” até aquilo que não queríamos, mudamos o canal da televisão diversas vezes, mas nada, nada nos aquieta… E  o “sofá”, também,  não nos parece tão aconchegante mais… Precisamos trocá-lo!


De repente, que maravilha! Uma “ideia brilhante. Pulamos fora do “sofá” prontos para começar a tomar as primeiras providências…

…“então,  é isso que eu preciso!”  Saímos pela rua, olhando para todos os lados, andamos, andamos e nada. Estamos quase desistindo de nosso objetivo e de repente, pararmos atônitas. Encontramos! E do outro lado da rua lá está, imponente e convidativa, esperando por nós, uma vitrine de “sofá”.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.