4min. de leitura

O sofrimento exige que novos objetivos sejam traçados

Terminou um relacionamento? Está frustrado profissionalmente? Perdeu um ente querido? Precisou se despedir de um amigo de anos? Perdeu a fé? Meu grande conselho é apenas um: trace novas rotas. Procure se agarrar a alguma paixão que o mova, algo que o faça acordar todos os dias e que faça valer a pena lutar contra esses momentos difíceis.


Todos passam por dificuldades, faz parte da vida. Mas se tem uma coisa que eu aprendi ao longo dos meus vinte e poucos anos de vida foi a lidar de uma maneira mais inteligente com todos os sofrimentos e obstáculos que aparecem no meu caminho.

Antes de qualquer coisa, quando me sinto magoada ou abalada por qualquer motivo que seja, busco entender o que está me causando essa dor. Muitas vezes é óbvio: brigas, términos, desentendimentos, sonhos frustrados, e por aí vai. No entanto, às vezes sentimos uma angústia doida dentro de nós, achamos que sabemos o motivo, tentamos solucionar o problema e então percebemos que na verdade não era exatamente aquilo.

Para realmente resolver um problema é preciso ir mais a fundo e só depois desse processo, ou seja, desse mergulho em si mesmo, que é possível começar a trabalhar na resolução dessa frustração. Bom, mas entre altos e baixos, lágrimas e sorrisos, o que eu realmente aprendi nos últimos tempos foi a traçar objetivos.


São os objetivos que nos empurram para frente e nos dão força quando estamos sucumbindo, ajudando a projetar um futuro melhor no qual tudo parece fazer mais sentido.

Terminou um relacionamento? Está frustrado profissionalmente? Perdeu um ente querido? Precisou se despedir de um amigo de anos? Perdeu a fé? Meu grande conselho é apenas um: trace novas rotas. Procure se agarrar a alguma paixão que o mova, algo que o faça acordar todos os dias e que faça valer a pena lutar contra esses momentos difíceis.

Não garanto que será fácil, mas tenho certeza de que isso amenizará a dor durante a caminhada, planeje a viagem dos sonhos, vá estudar uma língua nova, escreva aquele livro que nunca saiu da gaveta, pinte seus quadros e vá vendê-los numa feirinha qualquer, dedique seu tempo a um trabalho voluntário. Decida quem quer ser e onde quer chegar. Veja sua paixão tomando forma, seus projetos saindo do papel, seus planos decolando, e faça disso sua força motora.


Não vai ser fácil. Nunca é fácil. Mas a verdade é que, às vezes, a gente precisa sofrer para sair do lugar.

Decida onde quer chegar e não pare até conseguir!


Direitos autorais da imagem de capa: Robert Bye on Unsplash





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.