O sonho de joão…

Nosso filho João, em seus tenros oito anos de idade, acordou certo dia muito pensativo e, como de costume, disse-me que desejava contar um sonho.

A julgar pelo lindo semblante, tinha acabado de retornar de uma entusiasmante aventura e queria compartilhar aquela remanescente vibração doce e intensa. Que privilégio o meu!



João é uma criança de grande sensibilidade e, certamente não por acaso, nascido ao som de Vivaldi. Ele sempre nos surpreendeu com sua capacidade de filosofar sobre o mundo, a vida, num tipo de explanação não muito própria de crianças pequenas.

Muitas vezes ele inicia uma frase com “sinto que as pessoas precisam entender que…” ou “as coisas poderiam ser diferentes se todos…”. Até brincamos dizendo que ele é “um coração com pernas e braços”.

Felizmente, aquela era uma manhã de sábado e ambos estávamos liberados da rotina dos compromissos matinais da semana. Tive, portanto, o imenso prazer de acomodar-me ao seu lado e ouvir mais um de seus lindos sonhos.

Aquele sonho, em especial, teve algumas nuances surpreendentes que me fizeram querer registrá-lo. Como pesquisadora e estudiosa incansável em matéria de desenvolvimento humano e despertar quântico,  ative-me mais recentemente ao entusiasmante estudo dos arquétipos Junguianos.


Foi só então que me dei conta do tamanho potencial metafórico e transformador deste sonho, percebendo-o como uma joia terapêutica capaz de despertar o melhor que temos dentro de nós.

Senti, portanto, que a mensagem não nos pertencia unicamente e, sim, precisava ser oferecida amorosamente ao maior número de pessoas possível.

Ao sentar-me para escrever, consciente de tamanha responsabilidade, coloquei meus fones de ouvido e selecionei “The for Season – Vivaldi” numa playlist de clássicos (sugiro que façam o mesmo na hora da leitura do sonho logo a seguir).

A vibração desta fenomenal música barroca com certeza me ajudaria a penetrar novamente naquela sinfonia de emoções transmitida por João. Passei então a transcrever a narrativa do sonho da forma mais fiel que pude. Foram algumas horas de imersão na magia daquele verdadeiro universo paralelo. Mais tarde, apresentei a ele, sugerindo que o compartilhássemos, explicando sentir que a mensagem do sonho faria bem ao coração das pessoas.


Ao fim da leitura, retirando os fones e me olhando com um discreto sorriso, ele deu seu consentimento (não livre de pequenos ajustes), dizendo-me que o sonho ganhou um fundo musical bem afinado com as emoções que vivenciou.

Convido-os, então, a embarcarem também nessa aventura:

⎻ Mamãe, hoje eu tive um sonho muito legal! Foi tão real e emocionante que dá vontade de ficar relembrando. Posso lhe contar?

⎻ Sim, meu filho! Conte, conte!

⎻ Sabe, eu estava num lugar muito feio, terra seca, construções quebradas e havia muitas pessoas ao meu redor. Estávamos caminhando juntos em direção a uma caverna escura. Lá dentro tinha um lago e esse lago era a única chance de nos salvar de uma grande ameaça que nos perseguia. Eram monstros, criaturas horríveis que destruíam tudo por onde passavam. Para atravessar aquele lago era preciso prender o fôlego e nadar alguns metros por baixo da água. Só assim poderíamos chegar do outro lado, num outro lugar bem mais bonito e seguro. Mas havia um grande problema: a maioria das pessoas não sabia nadar ou tinha medo de não conseguir ficar o tempo necessário sem respirar embaixo da água. Mas então, como tenho facilidade nisso, resolvi ajudar aquelas pessoas  –  de fato, ele sempre foi um verdadeiro peixinho na água, fazendo jus ao próprio signo –  Então eu fui ajudando na travessia de todos, um a um. Nossa! Aquilo não foi nada fácil! Mas finalmente conseguimos!

Depois, já lá do outro lado, fomos caminhando e explorando o local que era realmente bem mais bonito, com muitas árvores bem verdes. Mas acontece que começamos a ver algumas coisas quebradas, fazendo com que ficássemos muito em alerta com medo de haver monstros ali também.

Logo adiante, como desconfiávamos, surgiu, de repente, um monstro horrível, pior ainda do que os outros. Eu estava à frente das pessoas, então fiquei cara a cara com aquela criatura assustadora! Naquele momento de pavor, lembrei que eu tinha uma arma, como uma bola, que se transformava em um raio laser perigoso quando era lançada. Era a nossa única chance, pensei. Respirei fundo, mirei bem e joguei a bola que se transformou numa luz forte correndo em direção ao monstro. Mas… para o desespero de todos, eu errei o lançamento e o raio não o atingiu, pegando só de raspão. Então, por conta disso, ele ficou ainda mais forte e raivoso e reagiu vindo para cima de mim. Naquela hora, talvez por causa do medo enorme, tive a impressão que o tempo parou e o meu pensamento também. Aí veio um sentimento forte que eu não entendi direito como aconteceu.

Naquela hora… meu coração encheu-se de amor, mas tanto, tanto,  muito, muito amor mesmo! Então, sem medo algum, eu abri os braços, dei um sorriso para ele e corri para abraçá-lo com todo o amor que existe no mundo inteiro. Sabe então o que aconteceu, mamãe?  – Eu, já de olhos úmidos e arregalados, fui logo pedindo que prosseguisse. E ele continuou:

 – De repente, o monstro desintegrou-se totalmente e surgiram ali vários animaizinhos lindos! Eram coelhinhos… esquilos… borboletas… e, naquele momento, veio uma luz do céu trazendo uma coroa dourada que foi se encaixando na minha cabeça. Então, eu virei o rei, com trono e tudo! Aquele lugar ficou ainda mais lindo…  ensolarado, verde e florido! Fiquei tão cheio de paz e foi tão maravilhoso ver todos vitoriosos, comemorando, se abraçando e pulando de alegria! 

⎻ Filho, que sonho incrível! – Falei respirando aliviada, batendo palmas, abraçando e dando-lhe parabéns, muito emocionada! Mas ele, ainda concentrado, avisa:

⎻ Hei, mas o sonho não acabou ainda, não! Sabe, tinha uma menina muito linda que eu amava muito! Ela também me amava e queria ficar ao meu lado. Mas, para isso ser possível, ela também tinha uma missão a cumprir. Ela tinha que escalar uma grande colina para buscar uma planta que seria fundamental para a sobrevivência de todos. Então, ela me pediu ajuda, afinal era uma tarefa bem difícil e eu já tinha provado a minha força e coragem.

⎻ Aí você foi com ela, não foi, filho? – Falei mais do que depressa. Porém, para a minha surpresa:

⎻ Não, não, mamãe! Eu apenas disse que meu amor por ela e por aquelas pessoas era muito grande e, bem por isso, eu sabia que ela devia ir cumprir a missão por ela mesma. Aí sim, ela estaria pronta para ser uma grande rainha! Eu disse a ela que confiava totalmente na sua capacidade e que estaria ali, junto com os outros, à sua espera.

Só restou-me abraçar demoradamente o nosso reizinho e agradecer muito por ele existir em nossas vidas, ensinando-nos tanto sobre a importância e a força do amor!

Corujices de mãe à parte, deixo que cada um interprete o sonho de João a sua maneira, sentindo o que ele tem a nos ensinar neste mundo maravilhoso que vivemos, mas também cheio de “monstros assustadores” e grandes missões a cumprir.

Que nos permitamos corajosamente experimentar o poder do amor em nossas batalhas internas, onde, de fato tudo acontece. Acredito que, dessa forma, tal qual o enredo de Vivaldi, a vivência do inverno sempre nos reservará grandes vitórias primaveris!

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.