12min. de leitura

Objetivos realizados são resultados de metas neurologicamente corretas!

Você identificou que precisa trabalhar de forma mais produtiva, gerenciar melhor seu tempo e ter mais qualidade de vida. Cansado(a) de não atingir seus objetivos e não ter tempo para sua vida pessoal, para cuidar de você e da sua família.


Então você resolve buscar alternativas de melhorar o que não está funcionando bem. Encontra vários artigos na internet, alguns vídeos interessantes, pode ter feito algum curso sobre administração do tempo ou sobre como melhorar a memória, otimizar o aprendizado. E nisso você se depara com o “monstro” das metas, todo mundo falando que tem que definir metas, que se não definir metas não vai ter objetivos realizados.  Mas, como é que eu faço para definir metas se eu nem sei ao certo do que se trata?

Se você se identificou com o exemplo acima, esse texto é para você! Além de falar sobre o que são metas e como podem ser utilizadas no nosso cotidiano, ao final dele eu vou lhe mostrar o que está por trás do estabelecimento metas neurologicamente corretas (e esse é um dos principais segredos de metas de sucesso!)

Metas: que bicho é este?

O meu contato com a ideia de estabelecer metas de uma maneira mais consistente veio já depois de graduada, quando desempenhava uma função de coordenação de mais de 50 pessoas em um importante órgão da Administração Pública Federal e fui então “convidada” pela minha gestora à época, hoje uma querida amiga, a desenvolver um planejamento estratégico para o setor. Dá pra imaginar que eu “grudei no teto”  só de ouvir “planejamento estratégico”, né?  Esse foi meu primeiro contato com o tema e, apesar do grande desafio inicial que me fez buscar conteúdo e estudar sobre isso, foi realmente possível traçar esse planejamento estratégico e um plano de ação com metas que serviram para nortear a atuação de toda uma equipe por determinado período de tempo.


Pois bem, estudando sobre o assunto eu percebi que metas e objetivos são coisas distintas, embora seja muito comum as pessoas se referirem a eles como uma coisa  única.  Objetivos tem um escopo, um alcance maior, são mais abrangentes e fornecem uma direção. É possível dizer que os objetivos são os nossos sonhos, o que nos faz avançar vida afora. Metas, por outro lado, são ações específicas e essenciais à realização dos objetivos, estão relacionadas a tempo e valor.

Exemplo 1:

Objetivo: deixar de pagar aluguel

Meta: adquirir um apartamento no valor máximo de R$ 350.000,00 até o dia  01.04.2020.


Exemplo 2:

Objetivo:  emagrecer (e continuar magra)

Meta: pesar 60 kg até o dia 30.06.2018

Um estudo feito por pesquisadores de Harvard entre 1979 e 1989 demonstrou o poder das metas escritas. Em 1979, perguntaram aos formandos do programa de MBA se eles tinham estabelecido metas claras, por escrito¸para o seu futuro e se tinham feito planos para concretizá-las. Dentre os formandos daquele ano apenas 3% desses tinham metas definidas e escritas sobre o seu futuro e planos para realizá-las. Um número menor –  13%  -, tinha metas, mas não por escrito e 84% não tinha uma meta específica.

Dez anos depois, em 1989, os pesquisadores entrevistaram novamente esses alunos e constaram que os 13% que tinham metas não escritas estavam ganhando, em média, o dobro dos 84% de estudantes que não tinha nenhuma meta. Porém, o mais surpreendente foi que os 3% de formandos que tinham metas definidas e por escrito não só estavam mais felizes  e realizados, como estavam ganhando em média dez vezes mais  que os outros 97% juntos! A única diferença entre os grupos era a clareza das metas que haviam estabelecido para si mesmo ao se formarem.

Existem várias outras pesquisas abordando a importância de estabelecer metas, porém, esta em especial, demonstra não só a importância, como também o poder de metas específicas e escritas  para aqueles que as definem.  Se você quiser ler mais sobre o assunto, recomendo a leitura do livro “Metas”, de Brian Tracy.

Metas neurologicamente corretas

Agora que você entendeu o poder de ter metas definidas de forma clara e por escrito e o quanto estabelecer metas é algo essencial para o alcance dos nossos objetivos, para a realização dos nossos sonhos, nós podemos avançar e falar sobre fazer isso da maneira certa.

A verdade é que pouco se fala sobre estabelecer metas neurologicamente corretas. Geralmente há uma “orientação generalizada” para a definição de metas, sem atentar ao fato que metas estabelecidas de forma correta, ou melhor, de forma neurologicamente correta, tem muito mais potencial de realização.

Um exemplo disso é o da pessoa que estabelece a meta  de “perder”  10 kg em 30 dias. Em primeiro lugar, emagrecer 10 kg de forma saudável em 30 dias é algo praticamente impossível, em segundo lugar, “perder” 10 kg não é uma meta neurologicamente correta porque o cérebro sempre vai entender que é preciso “perder 10kg”, ou seja, ainda que a pessoa emagreça, ela volta a engordar porque o cérebro tem o registro de que deve “perder 10kg”.

Uma meta neurologicamene correta no caso acima seria, se a pessoa pesa 70 kg por exemplo, estabelecer como meta pesar 60 kg dentro do prazo de 3 meses, sendo certo que especificar a data é ainda mais eficaz.

Para definição de objetivos e metas neurologicamente corretas, o primeiro passo é criar a visão positiva, a imagem do resultado já atingido. Ou seja, se o objetivo é pesar 60 kg, então se imagine, visualize seu corpo com esse peso, imagine que roupas poderia usar (ou voltar a usar), imagine as pessoas comentando sobre o seu novo corpo.

A visão positiva do objetivo realizado é essencial para o alcance do resultado. E essa visão deve ser orientada para o futuro e de forma positiva, é isso que mantém nosso foco e nossa energia para produção do resultado esperado.

No livro “O Jeito Harvard de Ser Feliz”, Shawn Achor menciona que um estudo realizado com 112 contadores juniores revelou que aqueles que acreditavam que seriam capazes de atingir seus objetivos foram os mesmos que, dez meses mais tarde, tiveram o desempenho de trabalho mais bem avaliado pelos chefes.

Sim, as nossas concepções mentais afetam nosso desempenho e por isso a importância de manter uma atitude mental positiva, e no caso das metas neurologicamente corretas,  uma visão positiva do futuro, a respeito dos objetivos que se pretende realizar na vida.

Ter uma visão positiva do futuro aliada a ações consistentes, cria nossa realidade.  Sobre isso explica a ciência. A fisica quântica, a neurociência, a programação neurolinguística, dentre outras disciplinas, apontam para a importância de entendermos como a consciência cria a realidade.


10 princípios para estabelecer metas neurologicamente

As metas  referem-se às ações necessárias para alcançar o objetivo determinado. Depois de quebrar a cabeça para entender isso e ver como poderia ser aplicado na prática, eu cheguei ao que chamo de os “10 princípios para estabelecer metas neurologicamente corretas”.

Destes 10 princípios que servirão como guia para definição de metas neurologicamente corretas,  os cinco primeiros referem-se ao que se denomina meta SMART, ferramenta emprestada da administração e utilizada na formulação do planejamento estratégico.

1. Tem que ser estabelecida de forma específica e positiva (Specific). Diga o que você quer e não o que você quer evitar.

2. Defina metas que sejam mensuráveis ao longo do  processo (Mensurable). É preciso ter como medir o seu progresso e como monitorar continuamente, para ter certeza que você está no caminho certo e no ritmo certo.

3. Metas desafiantes e alcançáveis (Attainable). Faça metas atingíveis, mas não muito fáceis e lembre-se que só você, Deus e o tempo poderão limitar a sua meta.

4. Meta ecológica (Relevant). Sonhos não têm limites, mas metas têm! Avalie o custo das suas metas. Vale a pena realizar essa meta?

5. Temporalidade (Temporal). Você deve dar a si mesmo uma data limite. Toda meta deve ter um prazo, se não tem não pode ser considerada meta.

6. Definir metas que estejam sob seu controle, influenciadas diretamente por você. Você deve praticar a ação e não outra pessoa, a meta deve estar sob o seu controle direto ou indireto.

7. Cheque seus recursos. Que recursos você tem para atingir sua meta? Recursos podem ser pessoas, coisas, modelos ou qualidades pessoais, dinheiro, conhecimento, habilidades, etc.

8. Monitore seu desempenho. Gerenciar, acompanhar o progresso do alcance da meta está dentre os fatores importantes à realização do objetivo. Isso também permitirá que você ajuste as velas do barco, caso perceba que está indo por um caminho diferente do que foi traçado e que não o levará ao destino escolhido.

9. Fale sobre suas metas com alguém de confiança.

É  esse  o princípio que embasa o sucesso de grupos como alcóolatras anônimos, vigilantes do peso. Obviamente você não precisa ir tão longe, se não quiser, mas compartilhar suas metas com alguém da sua confiança será mais efetivo porque “parece real quando podemos ver isso nos olhos dos outros”.

10. Plano de ação. O aprender está no fazer. O resultado vem com o fazer! Então é neste momento que você divide as metas em ações, para realizá-las e acompanhá-las ao longo do tempo.

Esse último princípio é, sem dúvida, um dos mais importantes. O que realmente fará com que alcancemos os resultados que buscamos, que realizemos os nossos sonhos, é a ação! Não adianta saber para onde quer ir se você não se colocar caminhando em direção a esse destino.

Nesse sentido, o plano de ação é essencial, porque vai ajudá-lo a organizar as ações que você precisa adotar consistentemente para realizar os seus objetivos.

Para isso você pode usar uma ferramenta também do planejamento estratégico que é o plano de ação 5W2H: simples perguntas:

1. O que fazer?

2. Por que fazer?

3. Onde fazer?

4. Quando fazer?

5. Quem vai fazer?

6. Como fazer?

7. Quanto custará?

Se você colocar em prática esses princípios poderá levar sua vida a outro patamar!

Se foi útil para você, curta e compartilhe. Juntos somos mais fortes e vamos mais longe!

Com carinho,

Kelly Coimbra

__________

Direitos autorais da imagem de capa: rsndetre / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.