ComportamentoDicasO Segredo

Onze formas de evitar que te manipulem

301

Joseph Goebbels foi Ministro da Propaganda de Adolf Hitler e o “poder por trás do trono” do mundo nazista. As estrategistas se tornaram um movimento de massa gigantesca, com consequências terríveis que todos nós conhecemos.



A questionável habilidade de Goebbels, foi ter identificado vários mecanismos de sugestão e implementar táticas muito eficazes de manipulação. Na Alemanha nazista, muitos cidadãos foram parte de um projeto político patológico, mentias eram ditas como verdade ao mundo.

Talvez você pense que isso é apenas história. Afinal, Goebbels morreu há muito tempo e os fatos implícitos da loucura nazista foram desmascarados. Mas a realidade prova o contrário. Esquemas de manipulação implementados naquele tempo ainda são válidos e estão sendo utilizados na política para capturar a consciência dos cidadãos.

Como você pode reconhecer essas táticas escuras?


Vamos rever os onze princípios da propaganda nomeados por Goebbels e veja se eles se parecem com as práticas de alguns dos políticos atuais.

1. Princípio da simplificação e do inimigo único: escolher um adversário e resistir na ideia de que ele é a fonte de todo mal. Por exemplo, “direita” ou “esquerda”.

2. Princípio do método de contágio: Envolver todos os adversários numa mesma categoria, ignorando as nuances e colocando-os em um grupo: o único inimigo. Por exemplo, “muçulmanos” ou “terroristas”.

3. Princípio de transposição: Acusar incisivamente um adversário por seus próprios erros ou defeitos.


4. Princípio do exagero e distorção: Converter qualquer história, por menor e banal que seja, em um fato do qual depende a sobrevivência da sociedade. Pretende-se que cada ato do adversário seja visto como suspeito e ameaçador.

5. Princípio da vulgarização: “Toda propaganda deve ser popular, adaptando seu nível ao menos inteligente dos indivíduos ao quais se dirige. Quanto maior a massa à convencer, menor deve ser o esforço mental para compreender a propaganda. A capacidade receptiva das massas é limitada e sua compreensão escassa. Além disso, a massa se esquece facilmente. ”

6. Princípio da orquestração: “A propaganda deve ser limitada a um pequeno número de ideias e repeti-las incansavelmente, apresentando-as uma e outra vez de diferentes perspectivas, mas sempre convergindo para o mesmo conceito sem emenda ou dúvida.”. A partir daqui também vem a famosa frase: “Se uma mentira é repetida várias vezes, eventualmente torna-se verdade”.

7. Princípio de renovação: Consiste publicar notícias e ideias que denigrem o adversário em grandes quantidades e rapidamente. Assim, o adversário estará se defendendo o tempo todo.


8. Princípio da verossimilhança: Apresentar informações aparentemente apoiadas por fontes sólidas, mas no fundo distorcidas ou parcialmente mostradas. O objetivo é criar uma grande confusão que a população tenta resolver a partir da explicação mais simples. “Mais vale uma mentira que não pode ser desmentida, do que uma verdade implausível”.

9. Princípio do silenciamento: Consiste na não realização de debates sobre temas nos quais não têm argumentos e, ao mesmo tempo, tentar esconder notícias que favoreçam o adversário. “Se não pode negar a má notícia, invente outra que distraia”.

10. Princípio da transfusão: Valer-se de mitos ou preconceitos nacionais e culturais para despertar um componente visceral que encoraje certas práticas políticas. Idéias acabam sendo apoiadas por emoções primitivas.

11. Princípio da unanimidade: convencer as pessoas de que pensam “como todo mundo”, criando assim, uma falsa unanimidade. O desejo instintivo de pertencer a um grupo fará o resto.


O esquema de Goebbels e seus seguidores é complementado por líderes carismáticos e slogans altamente emocionais e muito simples. Também rituais onde a cor o som são cruciais. Tudo isso consegue mergulhar as pessoas em uma espécie de hipnose da qual, infelizmente, acabam acordando tarde demais.

 

___

Traduzido pela equipe de O Segredo


Fonte: La Mente es Maravillosa

O poder da generosidade

Artigo Anterior

Para aqueles que não estão mais conosco, sentimos sua falta

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.