5min. de leitura

Olhe para si. Reconheça o seu valor! Respeite-se, ame-se, valorize-se!

Olhe para si. Veja a  luz própria que você possui! Enxergue-se em sua completude!

Convivendo com anseios, medos, angústias e tantos outros sentimentos que nos intimidam interiormente e nos entristecem, consequentemente vivemos inseguros; e é preciso se ver como alguém pleno de suas qualidades e valores.


Eu sei que falando parece fácil porque atingir o ponto de ver como é implica em coisas que precisam ser consideradas e revistas.

Para aqueles que se veem em depressão por exemplo é mais delicado pois requer ajuda profissional adequada e certamente a atenção, o carinho, compreensão, paciência e afeto _não é fácil para aqueles que lutam contra a depressão, portanto é preciso sim, compreendê-los e envolvê-los no amor.

Este é um lado breve para esse texto, mas na verdade, o outro ponto que desejaria que se atentassem bem é quando nos deixamos levar(conscientemente) por sentimentos que facilmente nos manipulam e nos fazem nos sentir um “zero à esquerda” e não é bem assim _é possível perceber quando há a nossa própria autossabotagem e não se permitir cair em tais armadilhas. É tal pensamento errôneo que nos faz acreditar que grama do vizinho é mais verde e o jardim dele é mais florido, fazendo assim que nós próprios nos ceguemos quanto ao nossos valores e capacidades. Enquanto não nos enxergarmos como somos em nossa real plenitude, nunca nos veremos como capazes.


É preciso parar de se comparar ao outro e se anular. Você não nasceu sem essência_ você tem uma aura linda e pura dada por Deus e se não vemos isso, é porque algo está fora do lugar em nossas vidas que está bloqueando a clara visão do que somos e do valor que temos.

Não se meça por quantidade e sim por qualidade e queira o mesmo para sua vida para que aprendamos que números, dependendo do ponto de vista, podem influenciar em atitudes destrutivas_  obviamente que especificamente me refiro a dinheiro, o qual este traz facilidade e não felicidade.

Há de considerar que claro há momentos que não temos a mínima vontade de fazer nada e o ânimo vai para o espaço. É normal acontecer esse momentos pois afinal somos humanos.


Contudo, a vigilância deve estar em torno da duração desses momentos de desânimo e o porquê que definitivamente não me vejo como ser pleno, capaz e valoroso?  O crer em nós mesmos não é tarefa fácil eu sei, já que vivemos numa sociedade que nos bombardeia em várias vias e simultaneamente, informações que querem padronizar o indivíduo em um único biótipo, classe social, racial e econômica, e se não tivermos o equilíbrio e a maturidade de reconhecer que nada das informações são de fato reais (ou ao menos, eu não devo me sentir obrigada a me encaixar em tais padrões), nos perdemos nisso tudo e convivemos (desesperadamente) com ideais que nos são impostas de que a maneira como vivemos e o que somos é absurdo e errado_ e assim, a manipulação domina e nos sentimos fora dos eixos. Não creia em tudo o que falam! Enxergue-se em sua completude!

A sabedoria pode ser adquirida de diversas maneiras e creio que uma delas é de auto observar e ver o que realmente é, e quando reconhecemos que somos capazes, paramos de querer ter a vida do outro, de se sentir impotente se alguém não está ao seu lado, de sentir um fracassado porque não conseguiu alcançar metas que foram planejadas, de sentir inferior por não ter posse de determinadas coisas e etc.

Deus nos fez plenos, mas quando nos perdemos do caminho de Seu amor é aí que damos passos errados e tudo fica confuso_ todavia, quando também enxergamos coisas em nós que precisamos melhorar, também contribuirá para o crescimento pessoal que irá nos ajudar movimentar para frente, alcançando degraus na vida que nos mostrará que não vale a pena tantas coisas inúteis e se desgastar por elas.

 Olhe para si. Veja a  luz própria que você possui. Reconheça seu valor e não se “venda” por qualquer coisa.

Respeite-se, ame-se, valorize-se e se reconheça!
___________

Direitos autorais da imagem: petarpaunchev / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.