Os amores reais não julgam e nem limitam!

5min. de leitura

No fundo, todos nós desejamos encontrar um amor verdadeiro, que nos transborde de alegria, realização, uma pessoa que nos motive a viver a vida da melhor maneira possível e a trabalhar todos os dias para nos tornarmos as melhores versões de nós mesmos.



Por isso, fazemos tudo em nosso poder para buscar esse amor. No entanto, ficar vagando de relacionamento em relacionamento, sem sentimento, sem verdade, apenas por medo da solidão pode impedir o amor verdadeiro de se manifestar em nossas vidas.

Quando colocamos tantas premissas para o amor, ficamos limitados por ele, o que restringe nossa liberdade.

Muitas vezes, nós podemos confundir amor com dependência emocional, o que nos leva a acreditar em suposições como: ciúmes é sinônimo de amor e amor é sinônimo de posse. Isso nos leva a julgar nossos parceiros baseados nesses conceitos, a ficarmos ofendidos quando eles não demonstram ciúmes ou quando não fazem questão de nos tratar como sua propriedade.

Aonde está o amor verdadeiro nessas condições? Provavelmente, bem longe, pois a relação se tornou um conjunto de situações limitantes e negativas. O amor não é isso. Amor é o sentimento que nos permite ser pessoas melhores a cada dia, amadurecer e crescer na vida.


Quando o amor nos limita, já tem data de validade definida.

Se temos em nossas mentes a ideia de que amar verdadeiramente alguém é depender dessa pessoa, já não estamos falando de amor, mas sim de dependência. E isso nos coloca muito longe do caminho que leva a um relacionamento completo e feliz.

O amor verdadeiro não julgará o seu passado

Em um relacionamento verdadeiro, existe a compreensão de que o passado ficou para trás e que não há motivos para reviver situações que já se foram. Se existe uma pessoa em sua vida que deixa claro seu desejo de começar uma relação com você e criar uma vida juntos, não é necessário julgar suas ações passadas, mas ver como ela se comporta com você no momento presente.

Você mesmo já cometeu muitos erros em seu passado, mas a pessoa com quem está tentando se relacionar agora não deve julgá-lo por isso. Provavelmente, você agora é uma pessoa mais madura, que aprendeu com seus erros e está dando o seu máximo para melhorar. No entanto, se você sentir que essa pessoa vai julgá-lo e condená-lo =pelo seu passado, é porque ela não sente um amor verdadeiro por você.


Em relacionamentos verdadeiros, há a necessidade de ser sincero e contar sobre tudo o que você viveu e aprendeu. Pois você não é a mesma pessoa de anos atrás. Se não houver essa liberdade de comunicação, essa relação não é o que você procura e esse amor não é verdadeiro.

Amor verdadeiro = amor maduro

O amor verdadeiro é como o amor maduro. Um tipo de sentimento mais calmo, baseado em fundações fortes e que começa a se manifestar depois das fases iniciais da paixão. Existem algumas diretrizes que caracterizam esse amor, são elas:

  • Aceitação do passado de seu parceiro sem julgamentos, baseada no entendimento de que nunca poderemos mudar o que já passou, mas que sempre podemos aprender com isso.
  • Nenhum desejo de mudar a pessoa ao seu lado, porque amor verdadeiro é aceitação, e não devemos moldar alguém de acordo com nossos próprios padrões. A disposição em aceitar e conviver com as diferenças é o que nos permite estabelecer uma conexão saudável com outra pessoa.
  • Entendimento de que não precisamos de outra pessoa para sermos felizes, mas que podemos escolher alguém para ser nosso parceiro de vida, para vivermos experiências e crescer juntos.
  • Nunca limitar o futuro do parceiro. Pelo contrário, estar ao seu lado e apoiá-lo a vencer desafios e conquistar seus objetivos e sonhos.

O amor maduro nunca nos limitará. Sempre nos motivará a crescer e nos tornar pessoas mais felizes e completas.

______________

Direitos autorais da imagem de capa: sonjachnyj / 123RF Banco de Imagens

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.