ColunistasFelicidade

Os bastidores da glamourização da felicidade…

OS BASTIDORES DA GLAMOURIZAÇÃO DA FELICIDADE...

Uma pessoa perguntou para mim: o que é felicidade para você?



Pensei e respondi que a felicidade é a minha jornada. É o agora, o presente, o meu dia a dia. As pequenas coisas, simples, que me fazem feliz. As pessoas hoje em dia acham que para ser completamente feliz é largando tudo, pegando uma mochila e viajando o mundo.

Já achei isso também. Ser feliz é um estado de espírito, seja em Curitiba ou em Paris.
Parece que ser feliz é um destino obrigatório que deve ser encontrado e você só chega lá, se for muito rico, se viajar ao mundo, se largar tudo, sempre esperando algo muito bom para acontecer.


De repente, parece que ser feliz com o que se têm, tornou um sinal de comodismo, porque somente quando algo magnífico acontecer sentiremos a verdadeira felicidade.
Nem tudo é o que parece, eu não sou tão feliz quanto gostaria de ser ou quanto esperava que fosse minha vida desde que pedi demissão. Nem todos seus amigos do Facebook que ostentam a vida perfeita de Instagram, são felizes de verdade. Hoje é quase impossível não ser lembrado o tempo todo de que alguém, está fazendo algo mais legal do que você.

O medo e a ansiedade fazem parte dos bastidores da felicidade. Todo mundo sente medo. Eu sinto. Tenho medo de me arrepender, de acabar meu dinheiro, de ter que voltar para o mundo corporativo e viver minha vida sem realizações. Isso não aconteceu, mas a incerteza sobre o futuro já me tirou algumas noites de sono. Aprendi a conviver com medo tendo coragem. A coragem não é ausência de medo, é a capacidade de seguir mesmo sentindo medo.

A instabilidade desse estilo de vida fez a minha ansiedade me tomar e tudo foi muito mais difícil do que eu imaginava. Se o medo tivesse me impedido de tomar essa decisão, eu estaria vivendo uma vida mais confortável, porém estagnada e isso me deixaria mais infeliz do que todo o sofrimento que a minha decisão me trouxe ao longo deste ano.


Eu sempre consegui comprar tudo que eu quis, com os empregos que tive e situações financeiras diferentes da minha vida. Hoje em dia, eu me preocupo sim se vai faltar ou se vou ter dinheiro. Levo a vida de forma mais simples, gastando menos e somente com o que me faz feliz.

Mas, tudo vale a pena quando se tem um propósito e acredita. Quando tem um propósito, o sofrimento, medo e ansiedade valem a pena. Eu quis ser livre para fazer algo que fizesse diferença na minha vida, que me fizesse crescer e que ajudasse os outros. Viajar foi só uma das consequências desse meu sonho. Vou continuar com meu sonho. Até quando? Não sei… Posso voltar para o mundo corporativo, quem sabe… Mas pelo menos eu tentei, deu certo enquanto durou, arrisquei.

E respondendo a pergunta que me fizeram? Minha felicidade vem do meu crescimento e da minha contribuição. Crescimento, pois eu encontrei uma forma de ser uma pessoa melhor e contribuição, pois eu encontrei uma forma de ajudar e fazer a vida dos outros melhor.


Nômades digitais – o que são e como ser…

Artigo Anterior

Que tipo de cultura você quer disseminar?

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.