publicidade

Os derrotados e a arte de perder…

 “É melhor ter lutado e perdido, do que nunca ter lutado”  – (Arthur Hugh Clough)



A derrota…

Dizem que a vida é um grande livro em branco, escrito à muitas mãos, escrito com tinta, lápis e carvão. Dizem que o livro da vida é escrito com sangue, suor e lágrimas. Dizem que os capítulos escritos com lágrimas podem ser de lágrimas de alegria, felicidade ou derrota. Dizem que as derrotas são na verdade ensinamentos, oportunidades e energia para o sucesso. Diz o poeta que é melhor ter lutado e perdido que nunca ter lutado.

Existem capítulos do livro da nossa vida escrito à lápis, em que o peso da derrota nos amedronta. Existem páginas dedicadas à arte de perder. Existem momentos em que as lágrimas são inevitáveis, e não são lágrimas de alegria, mas lágrimas de dor. Existem momentos em que a dor da derrota se torna maior que a força que nos impulsiona para a vida. A derrota leva tudo, leva os sonhos, leva os passos dados durante a caminhada, leva tudo que foi feito de forma correta.

Uma derrota é escrita com sangue, suor e muitas lágrimas.

Perder é difícil, o peso da derrota é um fardo muito grande para se suportar. A derrota liquida tudo. A derrota mata os brotos, apaga as cores, pinta tudo de cinza. A derrota pode ser uma lição amarga a ser aprendida, mas não é fácil entender as entrelinhas do desfecho do esforço de uma batalha. Escrever um capítulo do livro da vida chamado derrota é uma tarefa quase colossal, e se agiganta ainda mais quando o lápis é substituído por lágrimas.


Francisco Otaviano escreveu …

Quem passou pela vida em branca nuvem

E em plácido repouso adormeceu;


Quem não sentiu o frio da desgraça,

Quem passou pela vida e não sofreu,

Foi espectro de homem – não foi homem,

Só passou pela vida – não viveu

Diante do livro da vida, e da necessidade de escrever o capítulo da derrota, é preciso lembrar o que disse o poeta: “…Quem não sentiu o frio da desgraça, quem passou pela vida e não sofreu… só passou pela vida não viveu.”

A derrota dói, a derrota machuca, a derrota arranca lágrimas e reflexões do tipo: Onde foi que eu errei? Será que eu faço tudo errado? Será que eu não sou suficientemente bom? Escreva este capítulo a lápis, entenda que perder também faz parte do caminho da luz.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.