5min. de leitura

Os desafios da maternidade…

Se você é mãe ou pretende ser mãe não importa. O importante é que todos nós fomos gerados por uma mulher e tivemos uma mãe, em algum momento da vida. Na constelação familiar refere-se à lei do pertencimento; impossível negar ou desfazer esse vínculo, então, nesse caso é melhor render-se à lei do amor e aceitar a oportunidade da vida.


Independente da idade, escolaridade, cor, atividade, classe social, os desafios que a mulher ou responsável enfrentam na maternidade são diversos e atemporais.

Cada um sentirá algo como mais difícil, e às vezes até impossível de ser superado. Pois no cuidado com a criança revivemos também as dificuldades com nossa criança interior.

Antes de decidir ser mãe e chamar o futuro pai para embarcar nessa trilha, eu somente tinha uma vaga ideia do desafio diário do que é ser mãe. Porque além das novas e compulsórias tarefas com o bebê, temos de lidar com muitos outros sentimentos de incerteza: “será que vou dar conta?”, “será que vou conseguir amamentar?”, “será que o pai vai me ajudar?”, “será que sou boa mãe?”, “será que estou a fazer o certo?”, “porque ele chora tanto?”, “será que é assim mesmo?”, “será que vou ter dinheiro para sustentar essa criança?”…

Além disso, muitas mães ainda suportam dores da cesariana ou o leite empedrado no peito. O apoio nesses momentos é muito útil, e pode chegar de qualquer forma: lavar a roupa, olhar o bebê, fazer uma papinha, esquentar o leite, cozinhar, limpar a casa…sendo as mulheres intuitivamente experts em perceber como ajudar a mamãe nessas horas.


Ok, aí você já passou pelo “pior”, o bebê tem de 4 a 6 meses e você precisa voltar ao trabalho: nova dúvida cortante dilacera o seu coração. É comum sentir a sombra da culpa na volta ao trabalho, porque, instintivamente, a mãe não quer se separar da nova criaturinha, tão fofa e desprotegida, mas, por outro lado, o dever e a vida profissional a chamam; sem contar que novos ares são bem vindos nesse momento de apego à criança, pois nada se compara ao desgaste do “trabalho” de ser mãe.

Novamente o apoio de outras mulheres é muito importante. E, dessa vez, o apoio do parceiro faz toda a diferença.

A maternidade é algo tão sério e mexe tão profundamente com nosso lado feminino e visceral, que há mulheres que entram em depressão após o parto. Um período de tantas descobertas e desafios que tanto nos engrandecem como seres humanos, quanto nos paralisam de medo.

Embora cheio de desafios e incertezas, pois é claro que todos fazemos nosso melhor, sejam mães, ou sejam pais de todo tipo, se você sente-se chamada(o) a ser responsável por um ser humano por toda sua vida, eu sugiro que aceite o desafio.


O crescimento é inestimável e não há satisfação maior do que vê-los dar os primeiros passos, cantar a primeira música, dizer “papai, mamãe”, receber um abraço, escutar um riso, e um dia vê-los partir e ter suas próprias vidas, para, enfim, trazer os netos, e assim o ciclo continua…

Acredito que o relacionamento amoroso é uma poderosa ferramenta de autoconhecimento e desenvolvimento humano que, quando agraciada com um filho, torna-se mais poderosa ainda.

E quanto maiores os desafios, que superamos um degrau por dia, um dia de cada vez, maior o aprendizado.

Um beijo e até a semana que vem!

Simoni Venturini

_____________

Direitos autorais da imagem de capa: mishatc / 123RF Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.