Os relacionamentos são mais influenciados pelo passado do que imaginamos ou permitimos

A história tem um roteiro pronto: você conhece uma pessoa incrível, se apaixona e começam a namorar. Depois de um tempo começa a projetar no outro as decepções de relacionamentos anteriores e a culpá-lo por coisas que ele não fez. Pronto! O relacionamento começa a caminhar para o fim e, quando acaba, você se questiona por que não deu certo.

Se essa descrição pareceu familiar a você está na hora de começar a se preocupar.

As pessoas precisam entender que, ao começar uma nova história, é necessário deixar o passado para trás. Nietzche dizia que “não poderia haver felicidade, jovialidade, esperança, orgulho, presente, sem o esquecimento”. Diante de uma decepção amorosa, é normal que se cultive a dor por um tempo e que se continue a evitar novas histórias. Até aí, tudo bem! O problema está no fato dos envolvidos assimilarem o término do relacionamento com o fim de todas as outras coisas: fim dos sonhos, das expectativas, do casamento feliz. E o drama acaba sendo maior que a relação.

Quando as histórias se repetem, é necessário fazer uma autovaliação e analisar se somos vítimas ou opressores na relação. Por mais doloroso que seja abrir mão do passado e deixar toda aquela ideia de “poderia ter dado certo”, é preciso transformar a vida de novo e recomeçar, como dizia Shakespeare: “lamentar uma dor passada, no presente, é criar outra dor e sofrer novamente.”

Passado não é corrigido, não é mutável e não é importante. Então, deixe-o lá e encontre um novo presente.

Na boa? Não perca tempo não! Tem tanta gente bacana nessa vida, tanta coisa nova para acontecer e você carregando bagagens pesadas do passado. Pare de esperar o momento perfeito ou a pessoa que trará cura ao seu coração. Isso não existe! O que existe são pessoas dispostas a fazerem dar certo.

Acredite quando ele disser que você é importante, quando ela disser que é fiel e quando ele disser o quão linda você é. Seja grata pelas flores, pelas vezes que ele a buscou no trabalho e pelas vezes em que ela lhe fez um carinho para dormir. Amor é rotina, convívio, companheirismo.

Ninguém vem com instruções na testa dizendo como fazer para serem felizes para sempre. A gente precisa é enfiar a cara e tentar. Sem receitas, sem medos, sem traumas.

Por isso, ame o agora! Ame muito! Ame sem posse, sem neuras, sem ciúmes. Ame como se essa fosse sua primeira vez. Até, porque, toda chance é uma oportunidade única mesmo…


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 4max / 123RF Imagens



Deixe seu comentário