4min. de leitura

Padre “adota” bebê com Síndrome de Down abandonado pelos pais

“O Ministério conhece nosso trabalho, o perfil das crianças que recebemos e nos pediu para recebê-lo. Eu mesmo aceitei essa responsabilidade.”

Quando um homem decide se tornar padre, precisa renunciar a muitas coisas que para a maioria de nós são imprescindíveis. Uma delas é o casamento. Eles se tornam celibatários, o que significa que abrem mão do casamento para se dedicarem inteiramente à Igreja. Isso significa que também não podem construir uma família ao lado de uma mulher, mas podem adotar.


E isso foi exatamente o que fez um padre peruano. Omar Sánchez Lopez Portilho acolheu uma criança de dois meses, que havia sido abandonada pelos pais por ser portadora de síndrome de Down. Ele se encheu de alegria com a chegada de seu novo companheiro, justamente em seu aniversário de 51 anos.

A criança foi entregue na Associação das Bem-Aventuranças, um albergue administrado pelo padre, em Lima, capital do Peru. Omar revelou em entrevista que a mãe da criança é uma jovem de 17 anos, com problemas com bebida. Ela teve dificuldades com a gravidez e, ao dar a luz, decidiu entregar a criança.


“O Ministério conhece nosso trabalho, o perfil das crianças que recebemos e nos pediu para recebê-lo. Eu mesmo aceitei essa responsabilidade.”

Não demorou muito tempo para que Padre Omar se apaixonasse pelo menino, e demonstrou todo esse carinho através de seu perfil no Facebook:

“Obrigado pelo presente que Jesus me deu no meu aniversário! Você nunca deixa de me surpreender, Jesus. Bem-vindo, Ismael! Foi uma aventura trazer você de Cusco, a primeira de muitas que vamos viver juntos. Cromossomo de amor, Síndrome de Down”, escreveu.


“Veio em um dia muito especial, no meu aniversário (5 de maio), como um detalhe especial de Deus em minha vida sacerdotal, como fecundidade, como pai espiritual, como ser humano. É um detalhe muito particular de Deus”, acrescentou, feliz, o padre.

A Associação administrada pelo padre provê alimentação, saúde, vida religiosa e muito amor e carinho a crianças, adolescentes e idosos especiais, que foram deixados sozinhos ou que vivem em grande pobreza. Atualmente são abrigadas cerca de 200 pessoas, que são cuidadas por uma equipe formada por 80 profissionais.

“98% das pessoas que atendemos têm alguma incapacidade, habilidade diferente ou doença psiquiátrica ou física. Temos crianças com deficiência visual, múltiplas incapacidades (cegos, surdos, mudos), crianças com síndrome de Down, retardo mental, autismo, adultos e jovens com doenças psiquiátricas retirados das ruas”, explica o padre.

Um trabalho muito especial realizado por essas pessoas, que trazem amor, carinho e esperança para pessoas que estão completamente sozinhas.

Padre Omar demonstrou ser um homem que realmente segue os mandamentos do Cristianismo, e temos certeza que essa criança terá a melhor vida possível, cercada de muito amor e cuidado.

Compartilhe essa notícia linda e inspiradora com seus amigos nas redes sociais!


Direitos autorais da imagem de capa: © Omar Buenaventura/Facebook/Reprodução.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.