Notícias

“Não protegeu filho”: pai de Henry acredita que nova versão apresentada por Monique é “estratégia”

Leniel se pronunciou após saber da nova versão apresentada por Monique Medeiros sobre a morte do filho. Entenda!



A morte do menino Henry Borel está sob investigação, e novas informações vêm sendo descobertas e compartilhadas. Leniel Borel, pai do menino, se pronunciou depois que os advogados de Monique Medeiros compartilharem relatos de agressão sofridos pela mulher.

Monique relatou aos advogados que tinha sido agredida física e verbalmente por Jairinho e que, depois da morte do menino, foi manipulada para ajudá-lo. A professora ainda disse que o relacionamento que tinha com ele era abusivo.

Em entrevista à UOL, o engenheiro afirmou enxergar essas afirmações como uma estratégia de defesa da mulher. Ele disse não acreditar que ela estava sendo agredida, talvez apenas no final, para que não falasse sobre o que sabia, ainda acrescentando que “ela poderia até estar sendo agredida, mas não protegeu o filho”.


Leniel acredita que Monique supostamente mentiu à polícia, e que isso comprova que ela não quis defender o menino Henry.

Relacionamento com o filho

O engenheiro aproveitou para falar sobre os últimos momentos com o filho. Segundo ele, dias antes da morte de Henry, o pai fez uma chamada de vídeo com ele e percebeu que estava triste.

Na chamada, Henry disse que o “tio” (Jairinho) o machucava. Monique, em uma conversa posterior, disse: “Esquece isso, isso não acontece. Isso é uma reação dele, isso não pode estar acontecendo. Parei minha vida, deixei de ir para a academia, não faço mais nada, eu fico com ele a tarde toda.” Ele ainda disse que, depois disso, ela nunca mais o ligou.


Investigações

Sobre as investigações, Leniel afirmou que percebeu ações da ex-mulher para tentar manipular o rumo das coisas. Segundo ele, enquanto participava das investigações, ouviu da família da professora que criaram um grupo e que Monique estava manipulando todo mundo, tentando transferir a responsabilidade da morte do filho para ele, e que ele devreia ser investigado.

Leniel acreditava até Monique poderia estar sendo coagida por Jairinho até 8 de abril, quando ambos foram presos. Depois disso, ele disse que “da maneira que Monique sempre foi, estava manipulando todo mundo”.

Ele ainda julgou como “nebuloso” o suposto envolvimento de Monique na morte do filho, e que não consegue entender qual foi a sua função em tudo o que aconteceu. A defesa da professora ainda não se manifestou sobre as declarações do engenheiro.


Depois de denúncia, policiais encontram menino de quatro anos abandonado em condições precárias

Artigo Anterior

Alok “apadrinha” 4 cidades com seu Instituto e doa equipamentos para refrigerar vacinas

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.