Família

Pai viúvo, que morou na rua com filho após ficar desempregado, recebeu doações e propostas de trabalho

A vida do homem e do filho se transformaram poderosamente graças a uma onda de solidariedade. Confira!



A crise financeira trazida pela pandemia de covid-19 tem afetado milhares de pessoas no mundo, causando demissões e fazendo com que muitas não tenham escolha a não ser deixarem suas casas e ir morar nas ruas.

Foi essa a realidade que enfrentou Daniel, um viúvo argentino que perdeu tudo no ano passado e acabou se tornando morador de rua junto com o filho Lautaro, de apenas 10 anos. Contada pela rede de televisão local Eltrece, a história da família se popularizou.

Uma reportagem foi feita com Daniel e o filho, além de outras pessoas desabrigadas. O homem contou que perdeu o emprego, e isso fez com que ele precisasse viver na rua, porque o hotel em que estava com o filho os expulsou.


Direitos autorais: Eltrecetv.com.

Na rua, eles estavam passando por muitas dificuldades, além da falta de segurança e proteção. Pai e filho chegaram a ter todos os seus pertences roubados, inclusive as ferramentas do homem, que trabalha como pedreiro e eletricista.

A reportagem emocionou pessoas de todo o país, que se solidarizaram com as dificuldades da família e fizeram uma grande mobilização para garantir que Daniel e Lautaro pudessem recomeçar da melhor maneira possível. A família recebeu doações de roupas, alimentos, artigos de higiene e muitas outras coisas.

No entanto, não foi apenas isso, através da notícia, um primo distante da família encontrou os dois e os levou para casa. Daniel também recebeu muitas propostas de trabalho e até mesmo o convite para ir morar em uma casa desocupada, de um homem que viu a história e achou que Daniel se parecia bastante com um tio querido.


Direitos autorais: Eltrecetv.com.

Apesar de toda a ajuda, o pai deixou claro que não deseja apenas usufruir dos benefícios, ele afirmou ter “dois braços, duas pernas e uma cabeça pensante” e que apesar de ser considerado “velho para trabalhar”, pela sociedade, ele tem muita experiência e gostaria de conquistar um emprego.

Estamos vivendo um período bastante complicado, e as consequências deste momento nos atingem de diferentes maneiras. Este é o momento de olhar para o outro e demonstrar-lhe toda a nossa empatia e solidariedade. Todos podemos fazer a diferença na vida de alguém, por mais simples que seja a nossa contribuição.


Abandonada à beira da estrada, com sua casinha, cadela de 9 anos resiste às dificuldades e é salva

Artigo Anterior

Vítima de bullying por cabelo afro, menina respondeu à altura: “Não deixe ninguém roubar a sua alegria”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.