Comportamento

Pais entram na justiça para obrigar filho de 30 anos, que não ajudava em nada, a sair de casa

O casal precisou tomar uma decisão drástica para fazer com que seu filho finalmente saísse de casa. Saiba mais!



Christina e Mark Rotondo, um casal dos Estados Unidos, cansado de sustentar o filho Michael Rotondo, de 30 anos, que não queria se mudar de sua casa, entrou na justiça para obrigá-lo a sair.

Segundo contado pela CNN, os pais se revoltaram porque, mesmo deixando cinco avisos para o rapaz, além de uma oferta em dinheiro para apoiá-lo no início de sua nova vida, ele não se mudou.

Os pais juntaram ao processo judicial provas das cinco notificações que entregaram a Michael. A primeira nota dizia que seus pais decidiram que ele deveria sair da casa imediatamente, porque discutiu com sua mãe, e lhe deram 14 dias para encontrar um novo local.


Logo após a notificação, o casal procurou um advogado. Como o primeiro recado não surtiu efeito, Christina e Mark deixaram outro, dizendo que lhe dariam apenas mais 30 dias, ou iniciariam processos que garantiriam a mudança do filho.

Cinco dias depois, em outra notificação, os pais deram alguns conselhos para que o filho pudesse viver bem sozinho, oferecendo-se ainda para ajudá-lo a encontrar um novo local. Além disso, dispuseram-se a ajudá-lo financeiramente com a mudança.

Direitos autorais: reprodução/CNN.

Novamente, Michael não lhes deu nenhuma resposta. Perto de completar um mês do prazo estabelecido pelos pais, estes falaram com ele novamente, lembrando-o do prazo e de que tomariam “as medidas necessárias” para garantir que ele saísse de casa no prazo certo.


No último recado, os pais deixaram opções para o filho tirar seu veículo quebrado da sua propriedade, além das ajudas oferecidas anteriormente. Como o rapaz ainda se recusava a sair, o casal entrou com um processo de expulsão.

No tribunal, Michael, que representou a si mesmo, pediu ao juiz que a reivindicação dos pais fosse rejeitada, alegando que, nos últimos oito anos, eles nunca exigiram dele que os ajudasse nas despesas e tarefas domésticas.

Ainda argumentou que já havia uma exigência de lei afirmando que é necessário um aviso prévio de seis meses para que o inquilino possa ser removido através de expulsão. No entanto, o juiz responsável pelo caso ficou do lado dos pais, e concedeu-lhes o despejo.

Revoltado, Michael disse que não pretendia se reconciliar com os pais e que apenas queria “sair da situação”. A mudança aconteceu 10 dias após a decisão.


O processo não deve ter sido agradável para Christina e Mark também, mas sua decisão polêmica garantiu que o filho seguisse o seu caminho sem depender deles.

Professora gasta todas as suas economias para adotar aluno e seu irmão caçula. “A maior bênção da minha vida”

Artigo Anterior

Carpinteiro sem filhos usa economias de R$ 12 milhões para enviar jovens carentes à faculdade

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.