7min. de leitura

Pais surdos têm o parto traduzido em Libras por profissional e caso emociona equipe médica

“Foi fantástico! Eu tenho 18 anos de intérprete e foi meu primeiro parto interpretado. Então, eu fiquei muito feliz! É uma emoção que não tem como explicar…”


A inclusão é um tema cada vez mais discutido e por uma boa razão. Para aqueles que que nasceram com um organismo perfeito, a vida é muito mais simples e os momentos especiais podem ser apreciados de uma maneira completa.

No entanto, as pessoas que nasceram com algum tipo de deficiência em muitos momentos não são capazes de aproveitar as suas conquistas com totalidade, porque o mundo ao seu redor não está preparado para lhes oferecer as mesmas oportunidades.

Essa realidade é muito séria, mas felizmente existem pessoas que se dedicam a fazer com que todos tenham o mesmo direito de viver e se emocionar com a vida, independentemente de suas particularidades.


Essas pessoas ajudam a transformar vidas e trazer alegria e emoção para aqueles que estão ao seu redor.

Um casal deficiente auditivo de Marília, interior de São Paulo teve a sorte de se encontrar com pessoas como essas em um dos dias mais especiais de suas vidas e puderam reviver uma experiência única, de uma maneira completamente diferente!

Eliane Aparecida Silva e Marcelo Salviano Souza se preparavam para a chegada do segundo filho, mas ao darem entrada no Hospital Materno-Infantil não sabiam que estavam prestes a viver um momento de muita emoção e amor, acompanhados de uma pessoa preparada para guiá-los durante todo o procedimento.

Para que os pais pudessem compreender tudo o que estava acontecendo durante a chegada do menino Paulo e comunicar-se com a equipe, o hospital convocou mais um membro em sua equipe: a intérprete de Libras Luci Mayer Fiorentino, que ficou ao seu lado durante todo o procedimento.


Essa foi a primeira vez que o Hospital Materno-Infantil realizou um procedimento como esse, e também foi a primeira experiência de Luci em um parto, mas ela conta que foi muito especial:

“Foi fantástico! Eu tenho 18 anos de intérprete e foi meu primeiro parto interpretado. Então, eu fiquei muito feliz! É uma emoção que não tem como explicar, porque você poder passar calma para paciente. Ela depende da comunicação para manter calma. Foi um parto muito humanizado mesmo”, disse.

Após uma hora de cirurgia, Paulo chegou ao mundo muito saudável e a mãe contou em entrevista como estava se sentindo depois dessa experiência inédita:

“A comunicação foi muito boa, foi a melhor, porque a gente se comunicando, a gente consegue entender melhor as coisas. Eu fazia as perguntas em Libras e ela falava com os médicos, e quando os médicos falavam comigo, ela interpretava.”

O pai, Marcelo, também compartilhou a sua opinião sobre a presença da profissional durante o parto:

“Estou muito emocionado, chorei muito no parto e estou muito feliz, e ela também está feliz. Graças a Deus deu tudo certo, graças à união de todos; eles foram muito bacanas na preparação do parto. Foi uma união total. O cumprimento da lei e de um parto humanizado.”

A grande emoção, no entanto, não foi sentida apenas pelos pais, mas também pela equipe médica que viveu esse momento também pela primeira vez.

“Foi a primeira vez que eu assisti um paciente com um intérprete em 40 anos de experiência. Foi extremamente gratificante para mim e para equipe que atendeu junto comigo. Para o aprendizado tanto do aluno e do residente que me acompanharam e pelo fato de que nós nunca conseguimos nos comunicar tão adequadamente com um paciente como nós nos comunicamos com o intérprete”, disse Edson Oliveira Miguel, o médico responsável pelo parto.

O primeiro choro de Paulo, que simbolizou o trabalho cumprido e o início de uma nova etapa na história da família também foi traduzido para os pais por Luci.

“Eu falei: ‘Nenê chorando, chorando, nenê nasceu feliz.’ Aí eles ficaram felizes também. O pai até chorou e eu também chorei. Todo mundo acabou ficando emocionado e até a equipe médica se emocionou”, contou a intérprete.

“Tem 25 anos que eu acompanho essa comunidade surda na cidade de Marília. E o que eu vejo hoje seria inatingível há cinco anos. A postura da equipe médica, que aceitou a intérprete, a postura de tratar essa pessoa como humano mesmo”, disse a também intérprete Erica Elaine Porto, que acredita que esse pode ter sido o primeiro passo para que mais ações como essa possam acontecer no hospital.

Um momento realmente muito emocionante para todas as pessoas envolvidas e que deixa uma mensagem essencial: a inclusão deve ser trabalhada em todos os âmbitos da vida. Todos nós merecemos o direito de viver com plenitude todos os nossos momentos.

Parabéns ao hospital que promoveu esse encontro e muita saúde e felicidade ao Paulo e sua família!

Compartilhe essa história emocionante com os seus amigos nas redes sociais.

*Com informações do G1/TV TEM.


Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.


Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: arquivo pessoal/TV TEM/reprodução.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.