6min. de leitura

Para a depressão não há idade ou classe social. Não se culpe jamais e não sinta vergonha em pedir ajuda

Estou cansada de ouvir por aí que a depressão é falta de “Deus”.  Por isso mesmo, eu passei muito tempo me questionando e me sentindo culpada por estar assim.

Depressão é um estado emocional que pode ou não estar ligado diretamente a algo que nos aconteceu. Ela não está necessariamente ligada à falta de algo, por isso pode atingir pessoas bem-sucedidas financeiramente, porque não é algo material, muito menos tem a ver com a incredulidade, pois pode atingir também pessoas muito religiosas e/ou pessoas de fé. Mas ela tem um ponto em comum: a depressão age em nossas emoções.


A depressão não vem de uma vez, isso é fato. Ela chega aos poucos. Primeiro com um sentimento de tristeza, que parece não passar. Vem e volta e de repente você se encontra triste e desanimado. Você perde, aos poucos e sem perceber, a vontade de realizar certos hábitos, por simplesmente estar desanimado/a ou cansado. Por se tratar de sentimentos, algumas pessoas não ligam, pois acham que vai passar. Então, simplesmente, deixamos de lado.

Mas aquela angústia vem de uma maneira que você não pode controlar, nem entender o porquê de sentir isso.

Você sente vontade de chorar, e quando uma pessoa pergunta para você se está tudo bem, você não consegue responder a verdade, pois nem você compreende o que está acontecendo.

Para a depressão não há idade, nem classe social. Não importa se você é bem-humorado ou mal-humorado. Se tem uma boa profissão ou uma boa família. Se tem muito ou se tem pouco. Não é algo relacionado com o exterior, mas com o interior.


Muitas vezes não temos motivos aparentes para estarmos tristes e desanimados, porém nos sentimos assim. Não conseguimos mais ter prazer e alegria em certas coisas que tínhamos antes. Não conseguimos socializar e nos sentir bem, pois nos sentimos sozinho/as, mesmo quando rodeados de pessoas. Coisas simples como comer e tomar banho se tornam tarefas difíceis de se fazer, pois não sentimos vontade de sair da cama. Nosso corpo é tomado por um desânimo tão grande, que só temos vontade de dormir e evitar conversar ou ver qualquer pessoa.

Muitas pessoas falam de um vazio, é como se nada fizesse sentido. Hoje percebo que este “vazio” é a perda de direção, de um propósito de vida e de existência. Por isso é tão importante nos espiritualizar.. Se estamos com fome, procuramos comida para comer, certo? Se estamos com sede, procuramos água. E quando nos encontramos tristes e desanimados o que devemos procurar? Devemos procurar aquilo que satisfaça nosso espírito. Coisas espirituais só podem ser tratadas espiritualmente, mas toda ajuda externa também é bem-vinda. Ajuda profissional faz toda a diferença, devemos procurá-la, assim como devemos saber que somente nós temos acesso à nossa alma, às nossas emoções e à nossa vida.


Ter paciência com nós mesmos é fundamental. Respeitar as nossas emoções também, mas temos que ter consciência que devemos nos ajudar a sair dessa situação.

As emoções fazem parte de nós, porém não devem nos consumir. Quando há excesso de cargas negativas, devemos produzir cargas positivas para atingir o equilíbrio. Tudo em excesso é prejudicial em qualquer situação.

Por isso, preste atenção aos sintomas e não tenha vergonha em pedir ajuda.

É muito importante, nesse período, sentir-se amado/a, ter cuidado com seus pensamentos, por isso tente praticar e escutar coisas que ajude seu espírito a ser paz e amor. Leia livros de autoajuda, se precisar. Ouça palavras de conforto. Tenha mais contato com a natureza. Aprenda a ouvir seu espírito.

Afaste-se das más notícias e das redes sociais, se for preciso. Tente se dedicar a melhorar seu estado emocional e vibracional. Somos corpos e espíritos que vibram e geram energias que muitas vezes precisam ser recarregadas para reavivar nosso espírito. Consequentemente, o nosso corpo também se fortificará. Por isso, não se culpe. Não se sinta constrangido/a por estar assim. Dedique um tempo para meditar e aprenda a dar valor às pequenas coisas, como por exemplo, o seu respirar.

Olhe para dentro de você e perceba se há motivos para agradecer. Dê espaço à gratidão em seu coração. Dê espaço para a autocompaixão, tente se olhar com perdão. E a todo o momento procure se conectar com seu “Eu Superior” e com seu propósito de vida. Tudo que se procura há de encontrar, não importa o tempo, lugar ou situação.

Você encontrará forças e a cura para sair desse estado, apenas acredite e busque isso incessantemente. Liberté!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.