Pessoas inspiradoras

Para ajudar órfãos e necessitados, casal adota 21 crianças em duas décadas

Marlene e Silvio decidiram ajudar as pessoas que mais precisavam através da adoção, oferecendo um lar, uma família e muito amor para crianças e adolescentes.



Cada pessoa possui uma forma de querer fazer o bem. Pode ser com os animais, fazendo trabalho voluntário em asilos, cuidando dos familiares que precisam, dedicando-se a ajudar mães ou mesmo fazendo doações às famílias mais necessitadas e vulneráveis. Formas de ajudar sempre existem, e não importa qual a frequência com que você se dedica, o importante é se importar com o próximo.

O casal Marlene Steagall e Silvio Andrade, que sempre se dedicou ativamente a trabalhos voluntários em diferentes frentes, ajudando pessoas em situação de rua em Itatiba, interior de São Paulo, decidiu, há 20 anos, adotar crianças e mudar seus futuros. A iniciativa fez com que, nesse tempo, o casal oficializasse a adoção de 21 filhos.

Segundo reportagem do G1, Marlene e Silvio tomaram a decisão ao perceber que muitas crianças e adolescentes não tinham o mínimo de estrutura familiar, vivendo à margem da sociedade, isso fez com que eles desejassem se tornar os pais de quem mais precisava e que estava vulnerável e nas ruas.


A primeira criança eles acolheram em 2001, quando apenas davam assistência para quem precisava, sem oficializar a adoção. Funcionando como um lar temporário, foram mais de 90 crianças e adolescentes acolhidos, mas nem todos ficaram.

Alguns voltaram para as ruas, outros reencontraram as famílias biológicas, e foi quando o casal decidiu adotá-los, somando 21 jovens, dos quais 16 ainda moram com os dois. José, de 21 anos, explica que foi adotado junto com os três irmãos, e que só tem a agradecer pelas oportunidades que recebeu. Atualmente, ele está terminando os estudos e trabalhando.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.

Direitos autorais: reprodução/arquivo pessoal.


Emily, que foi adotada aos 6 anos, reforça o quão incrível é poder ter a estrutura de um lar e de uma família. A jovem, agora com 16 anos, reforça que adora a convivência que um tem com o outro. Os outros cinco filhos adotados já se casaram ou saíram de casa para morar sozinhos, alcançando a tão sonhada independência, com a ajuda de Marlene e Silvio.

Para dar conta dos gastos, a família recebe doações e o apoio de voluntários, e vende bolos e doces em um food truck, de onde sai a maior parte da renda. Como os pais só recebem ajuda financeira enquanto os filhos adotivos são crianças, a venda de alimentos foi a forma como Silvio encontrou de ganhar dinheiro e ficar perto dos filhos.

Wagner Steagall, de 18 anos, foi adotado quando tinha três meses de vida. Ele nasceu com uma deficiência no braço, mas isso não o impediu de ganhar medalhas em várias competições de natação. Para ele, foi graças à sua família que ele conseguiu fazer parte da natação, reconhecendo o esforço e a dedicação de Silvio e Marlene.

Marlene revela que ela e o marido decidiram adotar quando perceberam que as crianças que acolhiam não queriam mais ir embora, mesmo que tivessem outro lar para ficar. Para a mãe, aquele foi um simples ato de amor, retribuindo tudo que os filhos e filhas lhe proporcionaram através da adoção e da proximidade.


Menino de 11 anos comparado a Einstein se forma na faculdade e quer tornar humanos imortais!

Artigo Anterior

Passando fome e trabalhando como catador, menino de 4 anos recebe mais de R$ 100 mil em doações

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.