4min. de leitura

Para este momento: poucos abraços, mas muita empatia e gentileza. Todos precisamos!

Neste período em que os abraços estão diminuindo e os cumprimentos cada vez mais distantes, dois sentimentos estão se fazendo mais presentes: a empatia e a gentileza.



Estamos vivendo um momento que, para muitas pessoas, é inédito. O isolamento e a distância das pessoas que amamos podem ser recomendações com as quais seja muito difícil lidarmos, mas precisamos nos manter firmes e fortes, pelo nosso bem e de todas as pessoas ao nosso redor.

Nesse período em que os abraços estão diminuindo, os cumprimentos cada vez mais distantes e os encontros já quase não acontecem, dois sentimentos estão se fazendo mais presentes: a empatia e a gentileza.

Esses sentimentos, que permaneceram adormecidos por tanto tempo em muitos de nós, estão agora ganhando forças e governando nossas atitudes, porque são algumas das principais maneiras de sobrevivermos a este momento de tanta delicadeza e cuidado com as pessoas importantes para nós.


Com essa realidade, que está atingindo pessoas do mundo todo e colocando-as em risco, estamos conseguindo perceber quão frágeis todos somos, apesar de nosso dinheiro, luxo e prestígio.

Estamos enxergando que ninguém é melhor do que ninguém e que a união verdadeira, sem distinção de nenhum tipo, é a única maneira de vivermos, livres desse mal que está diminuindo o tempo de muitos por aqui.

O meu desejo para nós, durante esta fase tão complicada, é que tenhamos muita sabedoria e generosidade para com todas as pessoas, conhecidas ou não.

Que tenhamos consciência de que precisamos nos cuidar e seguir as recomendações, não apenas pelo próprio bem, mas para evitar que as coisas fiquem piores e para que não sejamos os responsáveis por prejudicar a vida de outras pessoas.


Desejo que o egoísmo se dissipe de nosso coração e que compreendamos a necessidade de dividir os recursos disponíveis com a população de onde vivemos, porque a ânsia de ter tudo para si apenas tornará as coisas muito piores.

Desejo que saibamos reconhecer o trabalho das pessoas que todos os dias estão colocando a própria saúde em risco para tratar daqueles que não estão bem e que possamos nos unir, em mente e coração, compreendendo a seriedade da nossa situação e fazendo nossa parte para que ela acabe o mais rapidamente possível.

Para este momento, desejo poucos abraços, mas muita empatia e gentileza. Quanto mais nos unirmos pelo respeito e compaixão, mais cedo nos recuperaremos.

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: Oksana Bratanova/123RF Imagens.

Você sabia que O Segredo está no Instagram, Facebook e no Twitter? Siga-nos por lá.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.