Pessoas inspiradoras

Para fazer colega surdo se sentir incluído, 580 alunos aprendem canções em linguagem de sinais!

Na Nova Zelândia, 580 alunos decidiram se comunicar com o amigo que tem síndrome de Down usando a única linguagem que ele compreende. Passaram uma linda mensagem!



A inclusão de pessoas com deficiência é uma pauta ainda pouco desenvolvida e trabalhada, tanto em instituições públicas quanto privadas. Garantir acesso, mas não criar estratégias de acolhimento para essas pessoas não soluciona o problema, apenas garante uma falsa sensação de dever cumprido.

A “acessibilidade”, tão discutida quando o assunto é deficiência, não tem só a ver com rampas de acesso, também tem a ver com fazer aquela pessoa se sentir querida naquele local.

Pensando exatamente nisso, os 580 alunos da Havelock North Primary School, na Nova Zelândia, passaram uma linda e especial mensagem, através da linguagem de sinais, a um colega com síndrome de Down: “Tudo vai ficar bem”. O menino, que só consegue se comunicar dessa forma, recebeu apoio e acolhimento de todos os estudantes da escola.


Os 580 alunos, com suas mais de mil mãozinhas, aprenderam o clássico de Bob Marley, Three Little Birds para homenagear o colega na Semana da Língua de Sinais do país. Em entrevista ao NZHerald, o diretor da escola Nick Reed explicou que alguns de seus filhos já usam a linguagem de sinais, que faz parte de suas vidas cotidianas.

Na escola havia um aluno com síndrome de Down, que somente se comunicava por sinais e, de acordo com Reed, a apresentação foi feita especialmente para ele. Ele ainda explica que a comunidade escolar quer se certificar de que está realmente sendo inclusiva e reconhecendo todos os estudantes.

A professora do primeiro ano, Annie Boyd, conta que o menino com síndrome de Down foi seu aluno no ano passado, e ela sempre quis ter a certeza de que todas as outras crianças conseguiriam se comunicar com ele. Aquela situação fez com que a classe tivesse uma dimensão totalmente nova do assunto.

Boyd ainda revela que o aluno é extremamente divertido e que todas as crianças adoram estar com ele.


Para todos os profissionais da instituição, as crianças precisam aprender sobre inclusão, mas, ao mesmo tempo, a Semana da Língua de Sinais não foi comentada em quase nenhum lugar do país, mostrando que todos precisam se esforçar ainda mais para torná-la mais midiática, já que é a terceira língua da Nova Zelândia.

Dois alunos do 5º ano falaram na assembleia sobre os motivos de usar a linguagem de sinais e a sua importância. Lote Shanley contou que sua irmã caçula tem síndrome de Down, que afeta a audição, por isso todos em casa precisam se comunicar através da linguagem de sinais. Com Micah Robinson, é o tio quem precisa se comunicar dessa forma. Aos 5 anos, sofreu uma lesão cerebral e desde então não consegue ouvir nada.

A professora Boyd acredita na importância de as pessoas conhecerem o básico do idioma, e acrescentou que a escola primária está tentando normalizar a questão. A Nova Zelândia, além do inglês, reconhece duas línguas como oficiais em seu território, o maori e a língua de sinais.

Assista ao vídeo desta linda homenagem:


O que achou da iniciativa desta escola?

Comente abaixo e compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais!

Indígena ganha bolsa de estudos em Harvard e se torna o primeiro formado em sua comunidade!

Artigo Anterior

Menina humilde, de apenas 8 anos, cria aquecedor solar para famílias pobres e ganha prêmio!

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.