AmorColunistas

Para o amor entrar, você precisa abrir a porta

Para o amor entrar

Dizem que não há receita para o amor, que, quando ele acontece, simplesmente acontece.



Volta e meia me pego pensando sobre isso… Principalmente com tantos sites, matérias e artigos dizendo como agir na hora da conquista – que atire a primeira pedra quem nunca leu um texto assim!

Pois bem, se não há receita para o amor, por que existem tantas receitas por aí? E com tantos elementos em comum? Alguns deles: se quer ser levada a sério, não “se entregue” no primeiro encontro… deixe que ELE a procure… finja um certo desinteresse… e por aí vai. Sim, estou falando do ponto de vista feminino por questões óbvias.

Pode funcionar? Pode, assim como o contrário também, afinal, quem nunca ouviu histórias de mulheres que tomaram a iniciativa na hora de chamar para sair? Ou que sim, rolou intimidade na primeira vez e o casal continua junto até hoje? Se fosse cientificamente comprovado, essas situações não ocorreriam.


Acredito que todas essas ‘atitudes de receita’ despertam o ‘instinto caçador’ que existe dentro do ser humano. É normal querermos aquilo que não temos ou não podemos ter.

Aquela história do proibido que é mais gostoso, sabe? Pensando dessa forma, existe sim uma receita, que consiste basicamente em despertar no outro instintos primitivos. Mas seria isso o amor?

Ah, se fosse tão simples! E talvez seja e nós que complicamos tudo. De uns tempos para cá, estou me convencendo disso cada vez mais. Todo ser humano é capaz de amar, está na nossa natureza. Queremos amar e ser amados. Mas, para isso, precisamos estar abertos para o amor e é geralmente aí que a gente começa a complicar tudo.

Todos temos particularidades, conceitos e (pré)conceitos também. Às vezes, idealizamos tanto uma coisa que nos fechamos para novas possibilidades, que podem ser, inclusive, melhores que as inicialmente pensadas.


“Ele é muito novo/velho pra mim”, mas você já pensou que essa troca de experiências pode ser benéfica numa relação? “Não estou num momento para começar um relacionamento”, desculpe, tem que agendar? Será que a pessoa não pode acabar contribuindo de forma positiva para o seu ‘momento’? “Ele mora numa outra cidade”, e…??? Hoje falta de comunicação não é desculpa para nada e, a não ser que ele more num outro planeta, por mais longe que seja, é possível se organizar para passar um tempo com a pessoa e nada garante que ele vai morar longe para sempre, né?! Etc etc etc…

Esses são apenas alguns exemplos das barreiras que colocamos para impedir que o tal do ‘amor’ chegue.

E aí vamos em busca de ‘soluções mágicas’ e fórmulas prontas, quando somos nós mesmos que estamos sabotando nossa receita.

Mas e aí? Quer dizer então que devo ficar com qualquer pessoa a todo custo? Claro que não!


Todos temos nossas particularidades e modo de ver a vida. E é isso que vai determinar que portas vamos abrir e fechar.

O importante é perceber que o amor está aí, volta e meia batendo à sua porta. E para ele entrar, você precisa abrir a porta. 



Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123rf / diignat

Quando a ausência não é sentida, nem a chegada é festejada

Artigo Anterior

“quem muito engole, no final se engasga”. Os sérios riscos de silenciar as próprias emoções

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.