publicidade

Para perdoar, coloque-se no lugar do outro, tente compreender o grau de evolução que o outro possui

A quem ainda me pergunta como perdoar, eu digo:

Coloque-se no lugar do outro, tente compreender o grau de evolução que o outro possui, suas limitações, sua infantilidade evolutiva, assim como é deste mesmo modo que perdoamos a nós mesmos, compreendendo os nossos limites naquele antigo estágio evolutivo.



É preciso aceitarmos os erros próprios e alheios, sem revolta. Isto não quer dizer que não haja culpa do outro, mas que o único erro que precisa ser corrigido é o seu em se manter exposto ao erro alheio, seja por ignorância, por medo ou até mesmo por omissões e, às vezes, por tempo demasiado.

Errar permite o aprendizado de como não fazer e acertar gera o aprendizado de como fazer, portanto, tanto acertar como errar fazem parte do processo evolutivo, não há como crescer sem vivenciar os dois lados.

É justamente essa compreensão do estágio evolutivo de cada um que permitirá a superação dos ressentimentos.

Livre-se do “peso morto” das cargas energéticas negativas de pessoas e situações que o colocam em sintonia com o fracasso, com o medo, com o sentimento de culpa etc., e pare de conflitar com esses fantasmas, cada vez que você sente raiva de quem lhe causou algum mal. O outro fez o que sabia, se não fosse com você, erraria com outra pessoa, mas você o atraiu naquele momento, então aceite sua falha e, assim, ao mesmo tempo, assuma o seu poder mal exercido.


Você mesmo se torna o seu maior obsessor quando nega suas próprias chances de um recomeço de vida, colocando nas mãos de pessoas do passado o poder de “deixá-lo” viver em paz ou não, ao acreditar que essas pessoas devem indenizá-lo por algo.

Não espere correções, pedidos de desculpas ou de perdão, só para se sentir livre de responsabilidades no sofrimento causado através da declaração de culpa de alguém. Não seja autocorrupto, não minta para si mesmo e assuma a sua parte nas responsabilidades dos seus próprios enganos, pois isto significa reconhecer que você tem poder, sim, agiu errado sim, mas ergue a cabeça e recomeça! E pare de dar poder aos outros, especialmente a quem não o valorizou, seja por inveja ou menosprezo.

Que tal desejar o bem a si mesmo como nunca, talvez, o tenha feito antes? Que tal visualizar-se um ser humano próspero, livre para recomeçar e digno da felicidade, só para variar um pouco?!

Então, perdoe! Perdoar é exercer o poder de descartar de sua vida quem suga a sua energia vital e resgatar o seu poder pessoal. Perdoar e se autoperdoar significa você optar pelo presente futuro, por viver a vida real repleta de possibilidades, e não mais as ilusões e frustrações de um tempo que não voltará!


Compreenda a verdade e o perdão surgirá do seu coração!


Direitos autorais da imagem de capa: Anastasia Vityukova on Unsplash.

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.