5min. de leitura

“Para que quero 10 Ferraris? Prefiro construir escolas e ajudar pessoas”, diz jogador do Liverpool

O mundo do futebol é cheio de luxos, como todos sabemos.


Jogadores de times grandes do mundo recebem salários extremamente altos, e ganham em um mês o que algumas pessoas não conseguem ganhar em toda a vida.

Isso permite que eles vivam muito bem, ostentando todos os luxos proporcionados por seu trabalho. No entanto, nem todos sabem lidar com a fama e a riqueza com discrição, pois frequentemente vemos notícias de jogadores se envolvendo em polêmicas sérias, alguns até mesmo são afastados dos gramados. Mas felizmente nem todos agem da mesma maneira, para alguns a fama e a riqueza são uma maneira de ajudar a mudar vidas, como é o caso de Sadío Mané.

O atacante do Liverpool tem tudo o que uma grande estrela do futebol pode ter: conquistas profissionais, carinho da torcida e uma conta bancária recheada, mas procura se manter longe dos holofotes e da ostentação, ele dá um destino muito especial ao seu dinheiro.


Natural do Senegal, país africano, Mané nunca se esqueceu de suas origens. Ele teve uma vida muito difícil até conseguir se consagrar no futebol, veio de uma vida de muita pobreza e passou fome, por isso enxerga o dinheiro de outra forma, e procura usá-lo para transformar as vidas de outras pessoas que vivem realidades semelhantes à sua alguns anos atrás:


“Para que quero 10 Ferraris, 20 relógios com diamante e dois aviões? O que faria isso pelo mundo? Eu passei fome, trabalhei no campo, joguei descalço e não fui ao colégio; hoje posso ajudar as pessoas. Prefiro construir escolas e dar comida ou roupa às pessoas pobres”, disse Mané em entrevista à Teledakar.

O jogador nunca se esqueceu de suas origens e faz questão de ser muito ativo em ações sociais em seu país, buscando combater a fome e a pobreza por meio da educação e da geração de renda para as famílias. “Construí escolas, um estádio, proporcionamos roupa, sapatos e alimentos para pessoas em extrema pobreza.”

Ele também faz doações mensais para uma comunidade do Senegal: “Dou 70 euros por mês a todas as pessoas em uma região muito pobre do Senegal, para contribuir com sua economia familiar.”

Um exemplo brasileiro

Outro jogador de futebol que também dá exemplo em suas atitudes é Richarlison, que joga no time britânico Everton e foi revelado pelo Fluminense. Em uma ação muito especial em sua cidade, Nova Venécia, no norte do Espírito Santo, o atleta doou mais de 600 kg de alimentos para famílias carentes.

Além disso, doou cerca de 50 mil reais a estudantes do Instituto Federal do Espírito Santo, para que pudessem estudar e participar da Olimpíada Internacional de Matemática, que aconteceu em Taiwan.

A ação gerou muitas emoções e gratidão dos jovens, que escreveram uma mensagem muito especial a Richarlison:

“O nosso orgulho por você não é só pelo seu destaque em campo, mas se estende por todas essas ações que proporcionam um retorno imensurável para a cidade. Esperamos que essa oportunidade permita expandir nossos horizontes acadêmicos e inspirar muitos outros estudantes, como nós, a se dedicarem ao progresso da educação brasileira”, declararam os alunos.

Podemos encontrar bons exemplos em todos os lugares, pessoas que investem os seus recursos em algo maior e pensam no outro são realmente valiosas e devem receber toda a nossa gratidão.

Que histórias como a de Mané ou de Richarlison se repitam cada vez mais, assim seremos capazes de construir uma sociedade melhor.

Compartilhe o exemplo em suas redes sociais!

 

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos. Direitos autorais da imagem de capa: AP. Direitos autorais das imagens utilizadas no texto: Imagem 1 – reprodução/Wikimedia Commons. Imagem 2 – reprodução/Instagram.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.