publicidade

Para que serve saber identificar abusadores?

Um dia desses, minha irmã, irritadíssima, perguntou:



“Ok, você dedica parte importante do seu dia escrevendo sobre as características de psicopatas e sociopatas e, segundo você, seu objetivo é conscientizar as pessoas ensinando-as ensinando-as a identificá-los. Tá, mas para que serve eu saber se alguém tem um desses transtornos? De que forma essa informação é relevante?

Os anos trouxeram a essa aquariana uma coisa que, mais jovem, lhe faltava: tolerância com a divergência. Assim, ao invés de ter uma explosão de impaciência, lembrei-me de que se trata de uma mulher que, desde os dezoito anos, ou seja, há trinta anos, convive com um homem saudável, trabalhador, amigo e de bem com a vida. Então compreendi a sua irritação diante de minha longa explição sobre psicopatas, afinal, nunca conviveu com um.

Muito tem se falado a respeito de psicopatia, narcisismo patológico e outras condutas abusivas dentro das relações interpessoais. São centenas de títulos publicados no mundo inteiro. Dedico uma página inteira ao objetivo de conscientizar as pessoas a respeito desses tipos que transitam livremente em nossas vidas, causando estragos.

Ocorre que quando não temos na bagagem uma experiência com um, mal conseguimos compreender a importância de saber identificá-los. Pois bem. Eu posso afirmar: conhecê-los é uma questão de sobrevivência.


Pessoas portadoras de transtornos de personalidade narcisista e antissocial são abusadores sociopatas e psicopatas perfeitamente socializados e dissimulados. Longe de serem serial-killers, essas pessoas convivem conosco em nosso dia-a-dia sem que nos demos conta.

Sem saber enxergar as sutilezas escondidas em suas ações, trejeitos, hábitos e falas, o que faz com que se mostrem sem máscaras, pessoas normais ficam expostas a todo tipo de abuso e dano que eles podem, sorrateiramente, causar.


Não sabem com quem estão lidando, intuem que há algo errado, mas não sabem o quê. Assim, pessoas incautas creem apenas que “é o jeito” da pessoa e, por isso, não se protegem delas.

Muitas vezes, estes perturbados socializados causam dor e destruição, e sequer são vistos como os responsáveis. Esses transtornados são experts na arte de minimizar, manipular, distorcer, inventar e inverter, de modo que você acredite que a culpa é sua ou de outra pessoa.

Saber identificá-los pode lhe poupar de:

– Sofrer manipulação, levando você a ter atitudes que jamais teria se não através da apresentação de uma verdade distorcida.

– Triangulação entre familiares, amigos ou colegas de trabalho, arruinando essas relações.

– Ter roubada sua identidade e sofrer a corrosão da autoestima através de comentários depreciativos disfarçados de “brincadeiras” ou “sinceridade”.

– Ter castelos construídos em torno de um relacionamento para em pouco tempo vê-los derrubados, deixando um lastro de destruição sua na vida, com o qual terá de lidar por anos e, quiça, para sempre.

– Entender o que está vivendo ou viveu e, finalmente, livrar-se da culpa, da sensação de estar enlouquecendo e do sentimento de inadequação, dando-lhe a força necessária para romper ou não voltar.

– Ser vítima de charlatanismo, fraude, estelionato. Esses tipos são capazes de enganar na prestação de um serviço, no fechamento de um negócio ou na oferta de algo que não farão ou não que existe e que, portanto, não pode ser entegue.

– Ver serem tirados de você, através da sedução ou vitimização, valores, favores ou bens que podem levar a prejuízos ou à sua completa ruína financeira.

-Expor crianças e animais às suas crueldades veladas.

– Ser prejudicado pela tendência a contar mentiras envolvendo todos que o cercam, inclusive você.

Lhe permite:

– Dar um ponto final imediato e indolor ao primeiro sinal de relação abusiva.

– Identificar empregados disfarçados de gente que veste a camisa, mas sorrateiramente desvia valores e bens, empregadores que assediam moralmente e exploram financeiramente o empregado, a ponto de levá-lo à depressão, colegas de trabalho que criam ambientes insuportáveis.

– Identificar “amigos” que puxam o tapete e sabotam tudo que possa levar você a conquistar algo bom.

– Escolher melhor seu voto diante de políticos que, em detrimento das necessidades dos outros, enriquecem às custas de verbas destinadas a catástrofes, saúde, educação segurança. Vivem em palácios na mesma cidade em que falta para outros água potável.

Ajuda a compreender:

– O que há por trás de quem mata friamente, comete crimes, desrespeita regras.

– Por que algumas pessoas dirigem como se estivessem em meio a um ataque de fúria, por que alguns se sentem no direito de cortar o outro e revidar com chutes quando não conseguem prioridade, por que se transita com tão pouca civilidade, cortesia e respeito aos direitos alheios.

– Por que há homofóbicos, racistas, misóginos, preconizadores de discursos de ódio e intolerância.

– Quem são as pessoas de seu meio que realmente precisam de ajuda e quais estão apenas usando você para conseguir atingir seus objetivos e saciar seus interesses.

Há mais pessoas à nossa volta com essas características do que imaginamos. TODO o mal que assola essa civilização se origina na ausência da consciência e da empatia, das quais narcisistas e psicopatas são privos. Familiarizando-se com tais características e com o “modus operandi” desses tipos, é possível ler nas entrelinhas de suas falas e ações e assim, saber posicionar-se diante deles de forma assertiva, proteger-se, preservar-se e, em alguns casos, até blindar-se de suas ações nefastas.

Lucy Rocha

Baixe o aplicativo do site O Segredo e acompanhe tudo de pertinho. Android ou IOS.

Texto escrito com exclusividade para o site O Segredo. É proibida a divulgação deste material em páginas comerciais, seja em forma de texto, vídeo ou imagem, mesmo com os devidos créditos.




Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.