Pessoas inspiradoras

Paralisado dos joelhos para baixo, idoso recolhe lixo de rio poluído todos os dias, há 6 anos!

Além de deixar o rio limpo, NS Rajappan garante um pouco de dinheiro com a venda das muitas garrafas de plástico encontradas no local.



Algumas pessoas passam a vida inteira ajudando o próximo, como se tivessem nascido para fazer o bem. Quando não se envolvem em nenhum acontecimento, acabam se sentindo tristes, como se não estivessem fazendo nada de produtivo.

Motivadas a mudar a vida de sua comunidade, principalmente daqueles que amam, são capazes de mover montanhas e alterar o curso das águas, fazendo com que muitas pessoas se beneficiem nesse processo.

NS Rajappan, de Manianikkara, há seis anos recolhe resíduos plásticos do Lago Nambanad. Mesmo sem dinheiro suficiente para ter um, o idoso aluga um pequeno barco e sai todas as manhãs bem cedinho, logo após o café da manhã, para realizar esse feito. Aquele foi o local onde cresceu e viveu toda, e ele conta em reportagem ao The Better India que não suporta vê-lo coberto de lixo e sujeira.


De forma voluntária, Rajappan decidiu recolher garrafa por garrafa, com as próprias mãos, em um barco alugado, e leva todo o resíduo a uma agência de coleta local, onde o vende. Mas uma questão agrava o caso do idoso. Aos 5 anos, contraiu poliomielite, e desde então não move as pernas dos joelhos para baixo.

A deficiência o impediu de arrumar trabalho formal, por isso nunca teve a oportunidade de trabalhar e receber um salário apropriado. A coleta e outros bicos são a única fonte de remuneração; ele conta que um quilo de plástico é vendido por R$ 0,88. O valor é extremamente irrisório, e quase não paga suas contas, mesmo que encha um barco inteiro com plástico.

Direitos autorais: reprodução YouTube/The Cue Studio.

Mas Rajappan conta que continua recolhendo o plástico porque isso que faz é o mínimo, e vai seguir no mesmo caminho até o fim, porque é isso que importa. O senhor sempre viveu sozinho em sua casa na aldeia Manianikkara, e Vilasini, sua irmã, explica que ele nunca quer sobrecarregar ninguém com seus problemas.


Direitos autorais: reprodução YouTube/The Cue Studio.

Em 2018, uma inundação na região danificou seriamente sua casa, mesmo assim ele não pediu ajuda para ninguém. Optou por morar em um barco durante algumas semanas e foi consertando aos poucos o que precisava, mesmo assim ela continua em péssimas condições.

Com a pandemia, o nível de resíduos caiu substancialmente, e mesmo que signifique que Rajappan não irá ganhar dinheiro o suficiente, ele fica muito feliz com a limpeza da região.

Direitos autorais: reprodução YouTube/The Cue Studio.


O indiano se dedica há mais de meia década a recolher lixo do lago, e muitas pessoas que acompanham sua trajetória acreditam que é um verdadeiro herói e que merece muito mais do que tem. Um fotógrafo, que acompanhou um pouco de sua história, contou em suas redes sociais que espera que toda a sociedade se una para ajudar aquele que dedica sua vida a ajudar todos.

Estes são os signos mais malandros. Eles sempre dão um “jeitinho” e enganam qualquer um!

Artigo Anterior

Daniel Craig revela que não deixará herança de R$ 800 milhões para filhos: “Pretendo doar”

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.