Comportamento

“Pare de me perguntar se ela é minha filha só porque eu sou negra e ela é branca”, pede mãe

Em uma entrevista, a mulher desabafou sobre a realidade que enfrenta com a filha branca.



Ena Miller é uma mãe que desde cedo testemunha os julgamentos que a filha sofre por causa da sua cor de pele. Em entrevista à BBC, a mulher que é negra relatou um pouco da sua realidade.

O parceiro de Miller é branco, e a menina Bonnie herdou a cor de pele do pai, o que deveria ser encarado de maneira normal, mas acaba fazendo a família passar por diversos momentos bastante desagradáveis.

No dia em que deu à luz e foi passar um tempo ao lado da filha na UTI, uma mulher lhe perguntou se a menina era sua filha. Esperando um elogio, Ena disse que sim, mas acabou ouvindo a mesma pergunta, em um tom de incredulidade. A desconhecida continuou dizendo: “Ela parece tão branca. Olhe para o cabelo, é tão liso. É tão branco.”


Direitos autorais: arquivo pessoal.

Desde então, esse tipo de comentário faz parte da rotina da mulher, e a levou a se questionar se as pessoas sempre pensariam que era ela a babá da própria filha. Ena contou que todas essas experiências negativas vieram de pessoas negras.

Durante uma caminhada, cinco semanas após o parto, ela contou que foi abordada por um homem negro, perguntando-lhe por que Bonnie era tão branca, ao que ela respondeu que é isso que acontece quando se tem um parceiro branco.

Todas essas situações fazem com que a mãe se sinta chocada, porque ela não consegue entender o motivo de as pessoas se sentirem tão ofendidas. Ena também contou que não fazia ideia de que famílias mestiças precisavam encarar uma realidade como essa.


Sua perplexidade com os comentários de pessoas que nada tinham a ver com sua família, muitas vezes, roubou toda a atenção da mulher, impedindo-a de falar algo para proteger quem ama.

Infelizmente, o preconceito racial essa é uma realidade presente em diversas famílias com membros de diferentes cores de pele. Como contamos por aqui, um pai adotivo negro já chegou a ser acusado de sequestro ao levar o filho branco para comer em um restaurante.

Direitos autorais: reprodução Twitter/@little_eeee.

Vivemos em uma sociedade que ainda não é capaz de aceitar e respeitar as diferenças, e o resultado disso é que milhares de pais e filhos precisam passar por situações desagradáveis no dia a dia. Esperamos que essa realidade seja transformada a cada dia, e as famílias sejam reconhecidas pelo amor entre seus membros, acima de qualquer outra coisa.


Sabrina Sato doa comida e brinquedos a crianças carentes durante a pandemia: “Um sonho antigo meu”

Artigo Anterior

Aos 33 anos, Andressa Urach revela que toma mamadeira no colo do marido antes de dormir

Próximo artigo

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.