Parecia punição, mas foi um grande livramento

De vez em quando, eu me pego olhando o passado e, inevitavelmente, peço perdão a Deus por situações que chorei sem entender que Ele estava me protegendo. Faço isso com muita frequência.

É libertador quando temos a oportunidade de enxergar que fomos protegidos, ao invés de punidos diante daquela circunstância em que a nossa alma sangrou.

Isso se aplica às rupturas de relacionamentos, perdas de empregos, viagens que não deram certo, pessoas que saíram das nossas vidas, enfim, por todos os lados podemos nos dar conta de que, aquele contexto que aparentava ser um fracasso, era, na verdade, uma prova do amor de Deus por nós.

Não foi perda, foi um grande livramento…uma grande bênção!

Aquela viagem em que uma pessoa se atrasou, perdeu o voo, e em decorrência de um desastre, tantas vidas foram ceifadas. Que livramento imensurável!

Aquele relacionamento que acabou contra a sua vontade e, que tempos depois, você descobre que o ex-parceiro está envolvido com tudo o que você repudia. Aquele “fora” que ele lhe deu merece o seu agradecimento de joelhos, sempre que lembrar.

São muitos livramentos em forma de “nãos”. O tempo todo somos poupados, abençoados e protegidos. Nem sempre tomamos consciência dessas bênçãos, mas elas acontecem. Num momento, a gente chora; num outro, a gente agradece.

Quem tem filhos sabe como isso funciona: a gente diz “não” a eles com o coração partido, porque a gente percebe que eles não têm discernimento suficiente para perceberem a nossa proteção, mas, ainda assim, temos que ser firmes.

Acredito que assim acontece quando Deus nos priva de algo que tanto desejamos e que não vai nos fazer bem. Ele enxerga lá na frente, Ele nos conhece, Ele sabe de todas as coisas.

E Ele é tão maravilhoso que sempre nos permite compreender a situação, num momento oportuno.


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF / diignat.



Deixe seu comentário