Notícias

“Passam por mim e fazem o sinal da cruz”, diz tatuador conhecido como “satanás”

Passam por mim e fazem o sinal da cruz diz tatuador

Língua e orelhas cortadas, quatro implantes que imitam chifres, prótese nos olhos, mamilos removidos e mais de 100 tatuagens. Assim é Pedro Henrique Silva dos Santos, ou “Pedro Kenso”, de 28 anos, morador do PSul, em Ceilândia, no Distrito Federal.

Conhecido como “demônio” ou “satanás”, ele conta que gastou mais de R$ 15 mil com as modificações no corpo.

Nas redes sociais, Pedro tem mais 272 mil seguidores e vídeos que fazem sucesso.

“Tem gente que não senta do meu lado e que passa por mim na rua e faz o sinal da cruz. Mas nunca liguei não. Quando comecei eu já sabia que isso ia acontecer, mas eu acho bonito”, diz Pedro Kenso.

Passam por mim e fazem o sinal da cruz 1

Direitos autorais: Reprodução

Pedro é casado e tem dois filhos: uma menina, de 6 anos, e um bebê, de 10 meses. Ele diz que as crianças não estranham, a menina “foi se acostumando” e o menino já conheceu o pai assim.

A primeira tatuagem dele foi aos 14 anos, quando escreveu na pele o nome da mãe, Lúcia, que não gostou da atitude do então adolescente.

“Apanhei dela porque ela pensava que tatuagem era coisa de marginal. Aí, hoje em dia, ela tem um bocado [de tatuagem] e me apoia”, conta.

Inspiração francesa

A decisão de modificar o corpo foi tomada em 2017. A inspiração, segundo ele, foi youtuber francês Anthony Loffredo, conhecido nas redes sociais por “Black Alien”.

“Eu acho um trabalho artístico bonito e sou fã dele”, conta Pedro, que pretende continuar com as transformações.

“Terminou não. Ainda tenho que fazer bastante coisa, como colocar mais seis silicones na cabeça e fazer a remoção do nariz, mas isso eu quero fazer fora do Brasil”.

Para as modificações extremas no corpo, Pedro diz que procura profissionais especializados e que, por isso, não tem medo de fazer os procedimentos. “Eu acho tranquilo. Não sinto dor porque tem anestesia. Depois dói um pouco, mas só questão de dois dias e passa”.

‘O homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração’

Passam por mim e fazem o sinal da cruz 2

Direitos autorais: Reprodução/Instagram

Pedro defende que a aparência não diz quem a pessoa é. Ele conta que já frequentou igreja e diz que lê a Bíblia.

No Instagram, Pedro postou o versículo 16 do Livro de Samuel: “O homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração”. Das mais de 100 tatuagens que já fez, ele diz que tem preferência por duas.

“No braço esquerdo eu fiz o rosto do diabo e, do lado direito, tem o rosto de Jesus. Elas simbolizam que na vida existem pessoas boas e pessoas ruins”, diz Pedro kenso.

Na metade da barriga, o tatuador tem um desenho que representa o inferno e, na outra metade, o céu. Nas costas aparecem asas de demônio e também asas de anjo.

0 %