Comportamento

Pastor é acusado de misoginia por aconselhar mulheres a não postarem fotos de biquíni e lingerie

Foto: Reprodução
capa Pastor e acusado de misoginia por aconselhar mulheres a nao postarem fotos de biquini e lingerie

O pastor emitiu sua opinião on-line e acabou recebendo uma chuva de críticas.

As redes sociais são um espaço democrático, onde todos nós temos liberdade para falar sobre qualquer assunto e expor a nossa forma de enxergar o mundo, pelas quais podemos encontrar pessoas com interesses semelhantes e criar comunidades para debater e compartilhar nossas experiências.

Apesar de toda a liberdade oferecida pelo ambiente virtual, precisamos estar conscientes de que se trata de um ambiente onde lidamos com pessoas de pensamento totalmente diferente do nosso, caso queiramos estabelecer comunicação pelas redes sociais.

Muitas vezes, nesse espaço as pessoas se sentem mais à vontade para discordar e iniciar debates sobre temas polêmicos, porque não correm o risco de ser agredidos fisicamente, como “na vida real”.

Cada palavra que publicamos no ambiente on-line precisa ser bem pensada e levar em consideração as consequências dessas declarações. Tudo pode ser falado, mas a maneira como o fazemos é fundamental.

Brian Sauvé, pastor em Ogden (Utah — EUA), recentemente aprendeu essa lição, e de uma maneira bem desagradável. Em seu perfil no Twitter, ele fez uma publicação orientando as mulheres sobre o que não deveriam publicar em suas redes sociais, e acabou provocando uma indignação por parte dos usuários, que inclusive o acusaram de misoginia e sexismo.

Sauvé, da Refuge Church, publicou na rede social a seguinte frase: “Queridas mulheres, não há motivo algum para vocês postarem fotos suas em roupas decotadas, biquínis, sutiã e calcinha, ou qualquer coisa semelhante”, escreveu Sauvé, 31 anos, na segunda-feira.

“Nem compartilhar sua jornada de perda de peso. Nem mostrar seu bebê recém-nascido. Nem para documentar sua história de nascimento. Assinado: seus irmãos”, acrescentou o pastor.

2 Pastor e acusado de misoginia por aconselhar mulheres a nao postarem fotos de biquini e lingerie

Direitos autorais: Reprodução Twitter / @Brian_Sauve

Não demorou muito para a publicação alcançar um grande número de pessoas, que em sua maioria ficou chocada com o comentário do líder religioso, pai de cinco filhos, motivando uma onda de comentários contra sua fala.

Outro homem comentou: “Querido Brian, não há razão para ser um idiota machista e misógino, a menos que você seja ameaçado por mulheres fortes, incríveis e poderosas, que amam seus corpos ou estão aprendendo a amar seus corpos. Cuide da sua vida e cale a boca”.

“Caro Brian, pastores como você são o motivo pelo qual a igreja é conhecida pela misoginia e pela subjugação das mulheres mais do que pela empatia e equidade. Você deveria tentar o sagrado ministério de cuidar da própria vida”, sugeriu o autor John Pavlovitz.

E a colaboradora da MSNBC, afiliada da ABC, Katie Phang, acrescentou: “Sou um membro orgulhoso da congregação da Santa Igreja de Cuide da Sua Própria Vida. Você deveria tentar em algum momento. — Meu corpo, minha escolha”.

O pastor não imaginava que sua postagem geraria tanta repercussão, e fez uma nova publicação para comentar sobre o “tsunami de tentação sexual” que seus “irmãos cristãos” têm que enfrentar todos os dias.

3 Pastor e acusado de misoginia por aconselhar mulheres a nao postarem fotos de biquini e lingerie

Direitos autorais: Reprodução Twitter / @Brian_Sauve

“Irmãos, vocês não têm escolha a não ser viver em um mundo onde até algumas de suas professas irmãs cristãs desfilam seus traseiros e seios na sua frente”, escreveu ele.

Em resposta, os críticos foram rápidos em argumentar que as mulheres não deveriam ser culpadas pela  falta de autocontrole dos homens.

“Prezado Brian, não há motivo algum para você postar suas opiniões no Twitter, Facebook, Instagram ou qualquer coisa semelhante — nunca. Nem para compartilhar seus pensamentos misóginos. Nem para revelar sua falta de autocontrole. Nem para documentar suas visões de mundo perversas. Assinado: a Internet”, escreveu um internauta.

“O verdadeiro problema de Brian é que ele é pastor e professor de escola dominical”, apontou uma pessoa. “Brian está ensinando as meninas que elas são responsáveis ​​pelos pensamentos ‘impuros’ dos homens sobre elas, e está fazendo isso através de uma organização religiosa isenta de impostos.”

Em protesto às declarações do pastor, outras mulheres publicaram fotos suas usando roupas decotadas, biquínis e lingerie.

“Caro Brian, não ouse ousar dizer-nos o que podemos ou não fazer. Você não tem poder aqui”, escreveu uma delas.