5min. de leitura

“Peçam e receberão. Procurem e encontrarão. Batam e a porta lhes será aberta.”

O que você está pedindo?  

“Peçam e receberão. Procurem e encontrarão. Batam e a porta lhes será aberta. Pois todos os que pedem, recebem. Todos os que procuram, encontram.  E, para todos que batem, a porta é aberta”.


Todos nós, a todo momento, estamos pensando em algo. Muitas vezes nossos pensamentos são, de certa forma, inofensivos, como pensar em qual filme assistiremos no cinema, qual roupa vestirmos, qual o número do telefone de alguém. Parte de nossos pensamentos não trazem uma carga emocional, são apenas pensamentos que podemos chamar de pensamentos superficiais.

Mas existem os pensamentos que nos movem, que nos transformam, que nos fazem ser, estar, agir, criar, destruir, doar, rir, chorar, xingar, bater, acariciar, abraçar, julgar, maltratar, desejar, bendizer, prosperar.  

Quais são estes pensamentos?  


Nós temos controles sobre eles?

Há uma forma de pensarmos diferentemente?

Nós humanos somos seres emocionais e vários de nossos pensamentos trazem uma carga emocional que nos faz mover. Nosso movimento pode ser em 2 direções apenas: em direção ao bem ou ao mal. Mas o que é o bem e o mal?

De uma forma simples podemos conceituar o bem como tudo aquilo que é feito ou realizado de forma a provocar uma mudança em sua própria vida ou em alguém de forma que traga paz, saúde física, emocional e espiritual. Podemos considerar que o bem é tudo aquilo que gera crescimento altruísta, que provoca um movimento em direção a se doar, a querer fazer outras pessoas se sentirem verdadeiramente melhores, sentirem-se felizes, completas, seguras, satisfeitas, gratas.  


Será que eu estou provocando o bem ou o mal em meus pensamentos?

Para identificar como estão seus pensamentos, procure reparar, cotidianamente, em como pensa quando acontece algo que o incomoda. Vamos a alguns exemplos:

  • Quando alguém passa por você e não o cumprimenta, o que você pensa a respeito?
    1. “Que pessoa mal-educada!”
    2. “Ela deve estar distraída.”
  • Quando o elevador demora para chegar em um dia que está atrasado:
    1. “Sou azarado mesmo. Tudo de errado acontece comigo.”
    2. “Tudo coopera para o bem daqueles que amam a Deus.”
  • Quando um conhecido dá uma festa e não o chama:
    1. “Ninguém gosta de mim. O que há de errado comigo?”
    2. “Certamente ele se esqueceu ou escolheu apenas os mais próximos. Vou aproximar mais minha amizade.”

Nós somos resultado de tudo aquilo que pensamos. Nossos pensamentos são como sementes lançadas no solo do nosso coração, de nossa mente. Após várias sementes lançadas, nascerão várias plantas e essas plantas darão frutos e semearão novamente.  

Quais plantas estão fortes no pomar de sua mente?  

O que tem pedido em a seu coração?

Reparem nestas afirmações:

  • Sou doente;
  • Ninguém gosta de mim;
  • Sou irresponsável;
  • Nada dá certo para mim;
  • Fulano de tal é imprestável;
  • Todo homem é igual;
  • O Brasil não tem jeito;
  • Meu filho é bagunceiro;
  • Ela é falsa;
  • Essa foi a última gota d’água.

Você já fez alguma delas? Já fez alguma parecida? Já fez outras piores, como desejar algo ruim para alguém? Quando pensamos assim, na verdade, estamos pedindo para que seja dessa forma em nossas vidas. Esses pensamentos ou sementes são como pedidos para que ocorram. São como orações desejando que tudo isso que falamos e pensamos, torne-se mais e mais realidade.

“A morte e a vida estão no poder da língua;  e aquele que a ama, comerá do seu fruto.”

Procure utilizar seus pensamentos, seus pedidos, desejos e palavras para semear vida. Mude seus pensamentos. Gere para si mesmo emoções que o levem na direção do bem. Influencie a si mesmo. Lidere seus pensamentos e palavras para que sejam sementes de vida e não de morte. Seus pensamentos ou pedidos germinarão em alimentos para sua alma. Escolha bem seu cardápio emocional, para que coma frutos do bem e não do mal.

Ainda há tempo, escolha a excelência!





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.