3min. de leitura

Pedregulho

Nossos pensamentos são a base de tudo. Da nossa vida e de como a vivemos. Eles são poderosos, e podem até viver a nossa vida por nós, a despeito de nós mesmos. Para que isso não ocorra, é preciso moldá-los, direcioná-los, pacientemente, insistentemente. Sempre.


É preciso saber o que queremos, pensar nisso. Mais do que pensar, sentir. Sentir e acreditar. Acreditar que tudo é possível. Que não estamos sós. Que somos parte de uma energia maior. Que pode ter vários nomes, várias faces, nenhuma face. Crer. Eu creio. N’Isso. N’Ele. Em Mim.

Mas, e se surgir a dúvida? Será que posso? Será que consigo? Será que existe?

A dúvida é aquela pequenina pedrinha na base de uma imensa montanha. Quando você desvia toda a sua atenção para ela, quando você lhe transfere toda a concentração, então não vê mais nada à sua volta. Não vê a imensidão e abundância da montanha que está lá à sua disposição, para que você a explore, conheça toda sua diversidade, a riqueza, a plenitude que ela tem a oferecer, para que você tome posse como um explorador da vida trilhando seus próprios caminhos. Quando você dá força a esse pedregulho, transfere para ele todo seu foco, transforma-o num ímã que o atrai e aprisiona, até que você o pega em suas mãos, arranca-o da base da montanha. E então, vê tudo desmoronar.


O sustentáculo de todas as nossas ilimitadas realizações é essa pedrinha. Que você não pode simplesmente remover. Você  precisa transformá-la, para que ela continue lá, preenchendo o espaço, dando sustentação e equilíbrio. Quando você transforma a dúvida em fé, quando você transforma a indecisão e passa a acreditar, acredite: você transforma o seu Universo.





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.