5min. de leitura

“Pequeno Príncipe”: alimente a criança que há em você!

O Salvador pediu: “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos Céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas.”

À medida em que você avançar na idade, pois o tempo não perdoa, mantenha a criança que há em você. Não permita que ela morra ou desfaleça. É com essa criança que o Criador pretende manter o seu elo eterno. O Salvador pediu: “Deixai vir a mim as crianças, não as impeçais, pois o Reino dos Céus pertence aos que se tornam semelhantes a elas.”


Assim, por mais cruel que o mundo possa ser, é essencial que você se vista do “Pequeno Príncipe” que reside no seu íntimo. É primordial que cada ser humano, mantenha e alimente essa criança, pois é esta que poderá acalentar o furor desse mundo em descompasso.

Seja criança, seja o “Pequeno Príncipe”! Tenha intenção pura com os seus semelhantes. Não almeje nada em retribuição pelos seus atos de caridade. Viva de forma leve. Não leve tudo a ferro e fogo. Não seja tão sério, tão rigoroso, nem consigo e nem com outrem. A vida avança, demasiadamente, a passos largos, ao seu término e não vale que sejamos tão rigorosos com quem não foi rigoroso conosco, pelo contrário, por amor, cedeu-nos, em profundo sofrimento, a vida Dele!

Seja o “Pequeno Príncipe” no seu convívio diário, no relacionamento com os seus pais, permitindo que estes possam vivenciar um pouco o convívio com as “eternas crianças” deles; seja o “Pequeno Príncipe” com seus irmãos, com seus amigos enfim, e também com o mundo decaído que tenta lhe derrubar, pois ele necessita de sua mão para se reerguer, contudo, não se deixe enganar.


Seja o “Pequeno Príncipe” de Antoine de Saint-Exupery, que nos ensinou que “todas as pessoas grandes foram um dia, crianças, mas poucas se lembram disso.”

Não permita que a criança que há em você, adoeça e até faleça; torne o sorriso e as brincadeiras um hábito diário; seja mais solto; permita-se ter asas; continue sonhando; procure se desconectar dos problemas o máximo que puder e seja feliz!

A felicidade,aos olhos de uma criança, pode ser uma constante, exceto em alguns pequenos momentos de normal infelicidade; constante poderá ser, pois a criança vê graça no mais simples e até no invisível aos olhos, mas essencial à vida, como também nos ensinou o “Pequeno Príncipe”.

A criança pode sorrir ao sentir o vento, inacessível aos olhos, acariciando o rosto dela; ao perceber que o mar corre ao encontro dela, mas que também segue em sentido contrário, como se em fuga estivesse; ao olhar a tempestade que anuncia a vinda do magnífico arco-íris de cores singulares que se misturam entre si, que param olhares de admiração e que nos ensinam que não devemos temer tempestades, pois o arco-íris nos espera doutro lado; também deveremos ter paciência com o desenvolver das larvas, pois poderemos ter a oportunidade de apreciar a beleza das borboletas.


Seja o “Pequeno Príncipe” e sorria com as manobras intermináveis da Mãe Natureza, por vezes tão sutis e lentas, como o desenvolvimento de uma flor; por vezes, tão céleres e visíveis, como a onda que se quebra em bom e alto som!

Divirta-se com a simplicidade, assim como uma criança! Seja o “Pequeno Príncipe”!


Direitos autorais da imagem de capa licenciada para o site O Segredo: 123RF/Imagens





Deixe seu comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.