PERDÃO: UM ATO DE AMOR PARA COM VOCÊ MESMO!

O que o perdão pode representar de positivo na nossa vida?

Os neurocientistas afirmam que perdoar – tanto pontualmente como por hábito– favorece o bem-estar e a saúde cardiovascular. O perdão põe fim ao desgaste causado pelo ódio crônico, que estimula a produção de hormônios de estresse, como o cortisol, que perturba o sono, aumenta o risco cardiovascular, de depressão, de ansiedade e traz muitas doenças psicossomáticas como gastrite, fibromialgia, enxaqueca…

O que acontece no cérebro que perdoa?

Um estudo italiano recrutou voluntários para seguir um roteiro que os orientava a imaginar situações de ofensas pessoais, e em seguida os instruía a perdoar o inimigo imaginário ou, ao contrário, os incitava a planejar vingança. Tudo isso acontecia dentro de um aparelho de ressonância magnética, que permitia à equipe acompanhar as mudanças de atividade no cérebro dos voluntários enquanto eles perdoavam ou não.

O estudo mostrou que o perdão nos coloca no lugar do outro, fomenta a empatia, amplia a resiliência, trazendo um estado emocional positivo que libera dopamina, serotonina, endorfina…

Mas porque será que é tão difícil perdoar?

O perdão exige a capacidade de reconhecer onde nós erramos, exige humildade para percebermos que se o outro me invade, normalmente é porque eu deixo. Eu delego poder demais para o outro e pouco para eu mesmo e, culpo o outro, desmereço o outro… Muitas vezes, esquecemos de assumir o real papel de protagonista da nossa vida, até de forma inconsciente. Mas é fundamental pegar o timão do barco da nossa vida, pois deixá-la na correnteza pode trazer danos irreversíveis para nós.

Vamos ativar a capacidade de perdoar para sermos mais saudáveis e felizes?

Pense em alguém que você não perdoou. Se não quiser falar com a pessoa, tenha uma conversa imaginária, mas ative a intenção de perdoar. Escreva algo para essa pessoa, mesmo que não entregue. Apenas escreva, deixe fluir todos os sentimentos e queime esse papel.

Amo fazer um exercício terapêutico simples e eficaz: sente no chão e coloque uma almofada na frente, aonde você imagina a pessoa que quer perdoar. Fale tudo o que precisa. Não culpe, apenas fale seus reais sentimentos, perdoe e entregue um ramalhete de flores para a pessoa.

Essas ações já vão com certeza mudar seu estado emocional.

Gandhi refere que “o fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte”.

Abraço carinhoso para você grande guerreiro/a!

Isabel



Deixe seu comentário