Reflexão

Perdoe-se por todas as vezes que você amou as pessoas erradas

Capa Perdoe se por todas as vezes que voce amou as pessoas erradas
Comente!

Continue acreditando no amor, mesmo que suas feridas o levem a querer desistir. Você deu o seu melhor a quem não merecia; a dor não é culpa sua.

Desde o momento em que escolhemos nos relacionar afetivamente, nosso âmago sabe que existe a chance de nos magoar, mas continuamos mesmo assim. O amor é como um rio pelo qual várias pessoas já se banharam e contam das suas experiências. Alguns passaram por águas calmas, boiando tranquilamente no caminho. Outros não tiveram tanta sorte e enfrentaram correntezas fortes, a violência da água.

Nós ouvimos as experiências dos outros atentamente sobre esse efusivo rio e, a maioria de nós, contraria nosso bom senso e decide pular na água sem saber qual resultado nos aguarda.

E, sim, infelizmente, o que recebemos não é um romance doce e sereno. As aparências e as promessas vazias enganam, mas nós também fomos avisados sobre isso pelos outros forasteiros do rio do amor que passaram antes de nós: a presença de criaturas com a fala mansa e sorrisos encantadores, que lhe prometem o mundo e nenhum sofrimento, apenas para terminar arrastando você para o fundo da água. Alguns dos atraídos por esses encantos perigosos podem sumir para sempre.

Podemos culpar o momento, a carência ou o personagem muito bem construído por quem nos enganou, mas, infelizmente, vez ou outra, em nosso caminho em direção à felicidade do nosso coração, somos levados por amores errados.

Às vezes, a dor de viver essa paixão ocorre desde os primeiros dias da relação ou ela pode se mostrar apenas quando a jornada turbulenta chega ao fim. Assim como os marinheiros em águas violentas, sentimos mal-estar, nossa mente não para de girar tanto, que não sabemos aonde a tempestade nos levou nem em qual momento o nosso lindo conto de fadas se transformou em uma história de terror.

O barco naufraga e as criaturas nos puxam para o fundo. Por sorte, alguns de nós conseguem escapar das garras da desilusão, muito feridos é claro, mas ao menos com vida.

Chegamos à margem, de volta à vida que deixamos para trás quando fomos enganados. É aí que vem a avalanche de emoções: a culpa, a vergonha, a tristeza, a raiva e até mesmo a saudade daquela dor conhecida.

Olhamos em volta para nossos planos deixados pela metade, os amigos e a família que perdemos no caminho. Em nossa mente, ecoam perguntas como: valeu a pena passar por tudo isso? Olhe como está nossa vida agora? Esta dor é avassaladora demais, será que um dia iremos nos recuperar? Dias e noites são consumidos pelo frio na barriga que a mesma pessoa já provocou, mas o que na época era a sensação gélida da expectativa, transformou-se no frio da solidão. Nós nos vemos dependentes apenas de nós, e isso parece a coisa mais assustadora do mundo.

Mas é preciso que você saiba de algo: nada do que ocorreu foi culpa sua!

Tire da sua cabeça que você deveria ter visto os sinais, que algo naquela pessoa desde o princípio era um alerta. Quando estamos amando, os sinais vermelhos se perdem no mundo cor-de-rosa que a sensação nos provoca. Nem mesmo quem estava de fora poderia puxar você para longe do perigo, pois só iria embora se o encarasse.

Perdoe-se, não porque você caiu na armadilha, mas por ter considerado isso um dia!

Às vezes, o que achamos que é o amor é apenas uma decepção disfarçada. Paixões erradas são como chamas, capazes de deixar marcas para toda a vida, mas não se culpe achando que foi você quem acendeu o fogo.

O culpado ou culpada dessa história não é você, nunca foi! Sua única responsabilidade é se curar no tempo necessário para isso, somente assim você poderá viver verdadeiramente livre.

Está na hora de perdoar a si e usar essa sensação poderosa para voltar a viver!

Comente!

Novo amor? Murilo Benício vive romance com Cecília Malan, jornalista da Globo

Artigo Anterior

Com novo pedido de prisão, André Gonçalves fala em encerrar carreira

Próximo artigo