Notícias

Personal que agrediu homem em situação de rua afirmou que sua esposa foi estuprada

Personal que espancou morador de rua diz que mulher foi estuprada capasite

A mulher, no entanto, afirma que a relação entre ela e o morador de rua foi consensual.

Um personal trainer foi pego por câmeras de segurança agredindo um homem em situação de rua em Planaltina, no Distrito Federal, pois ele teria violentado a mulher do personal.

Eduardo Alves, de 31 anos, é o homem que é visto nas imagens agredindo o morador de rua, após ter flagrado ele tendo relações sexuais com sua esposa, dentro de um carro.

De acordo com informações do portal de notícias Metrópoles, Eduardo afirmou que sua esposa estaria em um surto psicótico e não teria concordado com a relação com o morador de rua, o que configuraria um estupro. Alves disse que a situação não se trata de uma traição conjugal, pois a mulher não estaria em condições de consentir, por isso o ocorrido deveria ser tratado como um crime.

Após a agressão e a confusão generalizada, os envolvidos foram conduzidos à 16ª Delegacia de Polícia de Planaltina, que já está investigando o caso. A mulher disse aos policiais que atenderam a ocorrência, informalmente, que ela consentiu com as relações sexuais. Uma testemunha, inclusive, deu a mesma versão ao ser ouvida pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF). De acordo com o personal, a mulher estaria sob cuidados médicos.

A equipe de reportagem do jornal Metrópoles teve acesso a alguns áudios onde a mulher afirma para uma conhecida que, de fato, ela havia consentido a ter relações sexuais com o homem em situação de rua.

De acordo com os relatos, em um primeiro momento, o morador de rua abordou a mulher pedindo por doações e para ser curado, visto que a mulher estava no local em uma ação com uma igreja. A mulher disse que ao vê-lo, sentiu vontade de abraçá-lo.

Em seguida, o homem teria pedido para fazer carinho nos pés dela, no que ela deixou e disse ainda que sentiu uma sensação boa durante a carícia. A mulher disse que começou a ter visões de que o morador de rua seria Deus, e em outros momentos, ela achava que estava com Eduardo, seu companheiro.

Ainda na rua, os dois teriam continuado a troca de carícias e ela relatou no áudio que beijou o morador de rua em frente a sua sogra, mãe de Eduardo, que ficou incrédula com a situação. A mulher virou para a mãe de seu companheiro e disse que aquele era o seu propósito e ela precisava recebê-lo.

Depois do beijo, os dois entraram no carro em partira em busca de um local mais reservado. A mulher narrou no áudio que estava em busca de um lugar escuro para que os dois pudessem ficar juntos e que sentiu a necessidade de deixar o homem entrar em seu carro.

Pelas imagens captadas pelas câmeras de segurança da região, é possível assistir o momento em que o personal trainer se aproxima do carro. Ele bate com força no vidro do automóvel e assim que o morador de rua está fora do veículo, ele começa a agredi-lo.

A mulher e o morador de rua foram encaminhados ao hospital após o ocorrido. Ele tinha machucados no rosto e estava com os dois olhos roxos. Apesar disso, ele passa bem. O personal prestou depoimento e foi liberado. Ele pode responder por lesão corporal.

O homem agredido também teve a chance de contar a sua versão da história. Em um depoimento prestado na delegacia, ele contou que um carro parou nas proximidades da escola paroquial, em Planaltina. Dentro do veículo estaria a companheira do personal trainer. Segundo ele, a mulher o chamou e pediu para que se aproximasse e teria perguntado a ele se gostaria de brincar com ela.

Em seguida, o homem disse que foi convencido pela mulher a entrar no carro e disse que enquanto estava tendo relações com a mulher, um homem invadiu o veículo – o personal – e teve início a briga. Ele disse que não conhecia a mulher e negou as acusações de estupro.

0 %